Medicina Ortomolecular. Fundamentos e Pra\u0301tica - Miguel Curto.pdf - Medicina Ortomolecular Fundamentos e Prtica A Cincia e a Arte de Ler Artigos

Medicina Ortomolecular. Fundamentos e Prática - Miguel Curto.pdf

This preview shows page 1 out of 489 pages.

Unformatted text preview: Medicina Ortomolecular Fundamentos e Prática A Ciência e a Arte de Ler Artigos Cientificos – Braulio Luna Filho A Saúde Brasileira Pode Dar Certo – Lottenberg Administração Aplicada às Unidades de Alimentação e Nutrição – Teixeira Adolescência... Quantas Dúvidas! – Fisberg e Medeiros Aleitamento Materno 2a ed. – Dias Rego Alergias Alimentares – De Angelis Alimentos - Um Estudo Abrangente – Evangelista Alimentos com Alegação Diet ou Light – Freitas Alimentos e Sua Ação Terapêutica – Andréia Ramalho Aspectos Nutricionais no Processo do Envelhecimento – Busnello Avaliação Nutricional: Aspectos Clínicos e Laboratoriais – Goulart Duarte Bioquímica da Nutrição – Palermo Biossegurança em Unidade de Alimentação e Nutrição – Valle e Marques Chefs do Coração – Ramires Coluna: Ponto e Vírgula 7a ed. – Goldenberg Como Cuidar do Seu Coração – Mitsue Isosaki e Adriana Lúcia VanErven Ávila Controle Sanitário dos Alimentos 3a ed. – Riedel Cuidados Paliativos – Diretrizes, Humanização e Alívio de Sintomas – Franklin Santana Dicionário Brasileiro de Nutrição – Asbran Dicionário Técnico de Nutrição – Evangelista Dieta, Nutrição e Câncer – Dan Epidemiologia 2a ed. – Medronho Fisiologia da Nutrição Humana Aplicada – De Angelis Fome Oculta – Andréia Ramalho Fome Oculta - Bases Fisiológicas para Reduzir Seu Risco através da Alimentação Saudável – De Angelis Fundamentos de Engenharia de Alimentos - Série Ciência, Tecnologia, Engenharia de Alimentos e Nutrição - Vol. 5 – Maria Angela de Almeida Meireles e Camila Gambini Pereira Fundamentos de Nutrição para Engenharia e Tecnologia em Alimentos – Ana Flávia Oliveira e Janesca Alban Roman Guia Básico de Terapia Nutricional – Dan Guia de Aleitamento Materno 2a ed. – Dias Rego Guia de Consultório - Atendimento e Administração – Carvalho Argolo Importância de Alimentos Vegetais na Proteção da Saúde 2a ed. – De Angelis Integração Hormonal do Metabolismo Energético – Poian e Alves Interpretação de Exames Bioquímicos – Carvalho Costa Leite Materno - Como Mantê-lo Sempre Abundante 2a ed. – Bicalho Lana Liga de Controle do Diabettes – Lottenberg Manual de Dietoterapia e Avaliação Nutricional do Serviço de Nutrição e Dietética do Instituto do Coração (HC-FMUSP) - 2a ed. – Mitsue Isosaki Manual de Estrutura e Organização do Restaurante Comercial – Lobo Manual de Terapia Nutricional em Oncologia do ICESP Microbiologia dos Alimentos – Gombossy e Landgraf Nutrição do Recém-nascido – Feferbaum Nutrição e Síndrome Metabólica – Fernanda Michielin Busnello e Catarina Bertaso Andreatta Gottschall Nutrição Estética – Aline Petter Schneider Nutrição Humana - Autoavaliação e Revisão – Olganê Nutrição Oral, Enteral e Parenteral na Prática Clínica 4a ed. (2 vols.) – Dan Linetzky Waitzberg Nutrição, Fundamentos e Aspectos Atuais 2a ed. – Tirapegui Nutrição e Metabolismo Aplicados à Atividade Motora – Lancha Jr. Nutrição, Metabolismo e Suplementação na Atividade Física – Tirapegui Nutrição, Metabolismo e Suplementação na Atividade Física – segunda edição – Tirapegui O Livro de Estímulo à Amamentação - Uma Visão Biológica, Fisiológica e Psicológico-Comportamental da Amamentação – Bicalho Lana O que Você Precisa Saber sobre o Sistema Único de Saúde – APM-SUS Os Chefs do Coração – InCor Planejamento Estratégico de Cardápios para a Gestão de Negócios em Alimentação 2a ed. – Márcia Regina Reggiolli Politica Públicas de Saúde Interação dos Atores Sociais – Lopes Protocolos Clinicos para Assistência Nutricional em Cardiologia e Pneumologia – HCFMUSP – Isosaki, Vieira e Oliveira Puericultura - Princípios e Prática: Atenção Integral à Saúde da Criança 2a ed. – Del Ciampo Receitas para Todos - Economia Doméstica em Tempo de Crise Bagaços, Cascas, Folhas, Sementes, Sobras e Talos – Sara Bella Fuks e Maria Auxiliadora Santa Cruz Coelho Riscos e Prevenção da Obesidade – De Angelis Série Atualizações Pediátricas – SPSP (Soc. Ped. SP) Vol. 2 - Gastroenterologia e Nutrição – Palma Vol. 4 - O Recém-nascido de Muito Baixo Peso 2a ed. – Helenilce P.F. Costa e Sergio T. Marba Vol. 6 - Endocrinologia Pediátrica – Calliari Vol. 8 - Tópicos Atuais de Nutrição Pediátrica – Cardoso Série Ciência, Tecnologia, Engenharia de Alimentos e Nutrição Vol. 3 - Fundamentos de Tecnologia de Alimentos – Baruffaldi e Oliveira Série Manuais Técnicos para o Restaurante Comercial Vol. 1 - Estrutura e Organização do Restaurante Comercial – Lôbo Série Terapia Intensiva – Knobel Vol. 6 - Nutrição Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica – Cirurgia da Obesidade – Garrido Tabela Centesimal de Alimentos Diet e Light – Ribeiro Benevides Tabela de Bolso de Calorias para Dietas – Braga Tabela de Composição Química dos Alimentos 9a ed. – Franco Tabela para Avaliação de Consumo Alimentar em Medidas Caseiras 5a ed. – Benzecry Técnica Dietética - Pré-preparo e Preparo de Alimentos - Manual de Laboratório - segunda edição – Camargo Tecnologia de Alimentos 2a ed. – Evangelista Tecnologia de Produtos Lácteos Funcionais – Maricé Nogueira de Oliveira Temas em Nutrição - SPSP – Cardoso Terapia Nutricional do Paciente Crítico - Uma Visão Pediátrica – Pons Telles Terapia Nutricional Pediátrica – Simone Morelo Dal Bosco Transtornos Alimentares – Natacci Cunha Um Guia para o Leitor de Artigos Científicos na Área da Saúde – Marcopito Santos Medicina Ortomolecular Fundamentos e Prática Miguel Curto EDITORA ATHENEU São Paulo Rua Jesuíno Pascoal, 30 Tel.: (11) 2858-8750 Fax: (11) 2858-8766 E-mail: [email protected] Rio de Janeiro Rua Bambina, 74 Tel.: (21) 3094-1295 Fax: (21) 3094-1284 E-mail: [email protected] Belo Horizonte Rua Domingos Vieira, 319, conj. 1.104 PRODUÇÃO EDITORIAL: Fernando Palermo CAPA: Equipe Atheneu Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Curto, Miguel Medicina ortomolecular : fundamentos e prática / Miguel Curto. -- São Paulo : Editora Atheneu, 2015. Bibliografia. ISBN 978-85-388-0661-5 1. Doenças - Causas 2. Medicina preventiva 3. Radicais livres (Química) 4. Saúde - Aconselhamento 5. Saúde - Promoção 6. Terapia ortomolecular I. Título. CDD-615.854 NLM-WB 300 15-07169 Índice para catálogo sistemático: 1. Medicina ortomolecular: Terapia: Ciências médicas 615.854 CURTO, M. Medicina Molecular – Fundamentos e Prática ©Direitos reservados à Editora ATHENEU — São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, 2015 Autor Miguel Curto Médico Nutrólogo, Bio-Ortomolecular Formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Especialista em Nutrologia pela Associação Médica Brasileira e pela Associação Brasileira de Nutrologia Especialista em Oxidologia e Medicina Ortomolecular pela Associação Médica Brasileira de Oxidologia Especialista em Medicina Biomolecular e Radicais Livres pela Sociedade Brasileira Biomolecular e Radicais Livres Médico Nutrólogo da Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência de São Paulo In manus tuas, Jesus! Prolegômenos Gosto deste nome no início de um livro, o faz parecer mais importante, ademais, prefiro um filho chamado Prolegômeno a Prefácio, o apelido carinhoso não seria Fácio. Como o leitor pode perceber este livro tentará ser bem-humorado na abordagem de um assunto sério e árduo, como o é a prática ortomolecular. No entanto, quero usar estas palavras preliminares apenas para agradecer. Não poderia deixar de reconhecer as bênçãos que recebi de Deus, que me criou, me colocou entre tantos e tão bons mestres, em uma família maravilhosa e ainda, utilizando-se dos meus amigos, me incentivou a escrever este livro. Agradeço a inspiração do Espírito Santo na minha vida, no atendimento aos meus queridos pacientes, na orientação dos meus pupilos e na escrituração desta obra. Sou grato aos meus mestres amigos e aos meus amigos mestres, não os menciono nominalmente porque, fatalmente, cometeria alguma omissão injusta. Não posso, porém, deixar de mencionar o grande incentivador deste livro, o editor Dr. Paulo Rzezinski, que se valeu de sua secretária para persuadir-me a escrever este trabalho, até que eu o aceitasse. Hoje, satisfeito, o agradeço por isso. À minha família – minha esposa, Dra. Regina Lucato; meus filhos Dr. Igor Lucato e sua esposa, Sra. Silvana Freese, minha filha agregada número um; Dra. Ísis Lucato e seu marido Dr. Érick dos Anjos Corvo, um anjo de filho, também incorporado à família; Dr. André Lucato e sua cônjuge, Dra. Letícia Acceituno, a agregada número dois, aquela que trabalha onde os outros se divertem – também não poderia deixar de demonstrar a minha gratidão pela paciência com que, tantas vezes, ouviram o jargão “….quando eu terminar o meu livro...”. Ao meu irmão Renato a minha gratidão pelas instruções no uso do photoshop. Ao meu saudoso amigo Professor Yutaka Fukuda, quem muito me estimulou na escrita deste livro. Não posso deixar de mencionar, também, o grande auxílio das minhas filhas Ísis e Silvana na revisão final deste manual. Eu os amo, meus amigos, minha família, meus pacientes e queridos pupilos, que Deus os abençoe, a todos. Aqueles que estudarem esta obra incluam-se entre os meus amigos, e tenham um bom proveito e sejam beneficiados. Miguel Curto Sumário 1 2 O que é Medicina Ortomolecular, Biomolecular, Bio-ortomolecular, 1 A Origem da Prática Ortomolecular, 3 2.1. Meus primeiros passos na área, 3 3 Radicais Livres, 5 4 Quelação, 19 5 Mineralograma Capilar, 41 3.1. Conceito de radical livre, 5 3.2. Como se formam os radicais livres, 6 3.3. Reação em cadeia dos radicais livres, 7 3.4. Fontes fisiológicas de radicais livres, 8 3.5. Sistemas fisiológicos de controle dos radicais livres, 9 3.6. Fisiopatologia dos radicais livres, 10 3.7. Os radicais livres e os fenômenos fisiopatológicos, 13 3.8. Os radicais livres e as suas implicações nas especialidades médicas, 16 4.1. EDTA (ácido-etileno-diamino-tetracético), 19 4.2. DMSO (dimetilsulfóxido), 21 4.3. MSM (metil-sulfonil-metano ou dimetilsulfona), 26 4.4. DMSA (di-mercaptossuccínico ou 2,3-bis-sulfonilbutanodioico), 35 4.5. DMPS (2,3-di-mercapto-1-propano-sulfônico), 36 4.6. D-penicilamina, 36 4.7. Desferrioxamina, 37 4.8. Ácido cítrico, 38 4.9. L-arginina, 38 4.10. L-cisteína, 38 4.11. Glicina, 39 4.12. Glutation, 39 4.13. L-lisina, 40 4.14. Carnosina, 40 5.1. Coleta do material, 42 5.2. Interpretação clínica, 42 6 Metais Tóxicos, 67 7 Pigmentos, 83 8 Nutrição, 89 9 Geologia Médica, 447 10 11 6.1. Alumínio, 67 6.2. Antimônio, 68 6.3. Arsênico, 69 6.4. Bário, 69 6.5. Berílio, 70 6.6. Bismuto, 70 6.7. Cádmio, 71 6.8. Cobalto, 71 6.9. Cobre, 72 6.10. Chumbo, 72 6.11. Estanho, 74 6.12. Ferro, 74 6.13. Manganês, 76 6.14. Mercúrio, 76 6.15. Níquel, 78 6.16. Ouro, 79 6.17. Platina, 80 6.18. Prata, 80 6.19. Tálio, 81 6.20. Tório, 82 6.21. Urânio, 82 7.1. Pigmentos orgânicos, 83 7.2. Pigmentos inorgânicos, 84 7.3. Pigmentos perigosos, 87 8.1. Princípios gerais, 89 8.2. Água, 91 8.3. Carboidratos, 91 8.4. Proteínas, 91 8.5. Lípides, 114 8.6. Vitaminas, 123 8.7. Minerais, 231 8.8. Outros nutrientes, 350 8.9. Associações de nutrientes, 441 9.1. Exemplos ilustrativos, 449 9.2. Substâncias orgânicas na geologia médica, 450 9.3. Esferas de domínio geográficas, 451 9.4. Geologia médica no Brasil, 456 9.5. Futuro da geologia médica, 457 Bibliografia, 459 Índice Remissivo, 469 Capítulo 1 O que é Medicina Ortomolecular, Biomolecular, Bio-ortomolecular Um dia, conversando com um amigo, percebi que, apesar de já não ser novidade no Brasil, muitas pessoas desconhecem a prática ortomolecular, ou sequer cogitam na existência da especialidade. Este diálogo me deixou intrigado. Nós, já envolvidos no assunto, estamos acostumados a estes termos esdrúxulos como biomolecular, ortomolecular, oxidologia, mineralograma e outros palavrões técnicos que se incorporam em nosso dia a dia. Mas é óbvio que este linguajar ainda não alcançou a população, especialmente aqueles que não se interessam por assuntos médicos ou de saúde. Na intenção de orientar, propus-me, então, a escrever algo sucinto sobre o assunto. Segue, então, o tema, um pouco mais árduo: Biomolecular, ou prática ortomolecular (orto, em grego, significa correto), ou bioquímica médica são termos que se superpõem, significam o estudo e a atuação sobre as funções celulares, em cada uma de suas organelas (mitocôndrias, retículo endoplasmático, núcleo, nucléolos etc., lembram-se?). Assim, agindo nestas estruturas podemos manter a saúde e evitar doenças, em um nível anterior à sua manifestação nos tecidos e órgãos do corpo. Tratamos as enfermidades onde elas efetivamente se iniciam, nas organelas celulares (incluindo entre as organelas a própria membrana celular). Explicando melhor, todas as agressões ao nosso organismo se iniciam por alterações celulares, sejam ferimentos em nossa pele ou nas mucosas, invasões virais e bacterianas, ou ainda intoxicações e deficiências nutricionais. Cuidandose da higidez celular e do meio no qual as células estão imersas obteremos a saúde de cada célula, tecido, órgão, de cada sistema e de todo o organismo de um modo completo; holístico, se incluirmos aí os aspectos emocional e espiritual. Esta ação sobre as organelas se faz, primordialmente, através dos nutrientes e dos hábitos de higiene e comportamento. Um colega, já há alguns anos, dizia-me que temos corpos da idade da pedra alimentando-se na era espacial, ou seja, fomos criados para alimentarmo-nos de modo natural, despendendo esforços para a coleta de nutrientes na natureza, seja ela pela coleta de frutos, verduras ou raízes, seja pela caça ou pela pesca. Com a descoberta do fogo conhecemos novos sabores e passamos a consumir alimentos que anteriormente eram impróprios para a alimentação, com suas vantagens e desvantagens. Entre as desvantagens, a perda das propriedades nutricionais e nutracêuticas (ação farmacológica de determinados alimentos) dos alimentos e a adição de substâncias cancerígenas à alimentação (carvões e defumados). Hoje já não usamos os nossos músculos de modo adequado (leia-se saudável), andamos de automóvel, temos água encanada, máquinas de lavar e de industrializar, não nos exercitamos mais na caça, na coleta ou na agricultura. Tudo obtemos no supermercado, temos a comida sempre à disposição na geladeira e a preparamos em minutos no microondas. O cinturão verde está cada vez mais longe de nossas cidades e os alimentos consomem as suas propriedades nutricionais, para não se deteriorarem durante o transporte, o armazenamento e o beneficiamento, até chegarem, depauperados, à nossa mesa. Consumimos, então, alimentos pobres nutricionalmente e, muitas vezes, acrescidos de conservantes e aditivos, nem sempre inócuos. Pior ainda, após a Segunda Guerra Mundial, temos o chumbo, um veneno metabólico, espalhado por todo o planeta, a ponto de o comermos, seja nos vegetais, na carne e mesmo no leite com que alimentamos as nossas crianças. O mercúrio é também outro flagelo, contaminando os nossos rios e mares, afetando a nossa saúde quando consumimos os frutos do mar. Isto sem mencio- Capítulo 1 1 nar outros metais tóxicos encontrados em nosso cotidiano, como o cádmio, o alumínio, o arsênico, o tálio etc. Acrescente-se a tudo isso o estresse absurdo a que nos expomos na sociedade competitiva em que vivemos, obrigando-nos a abdicar dos momentos de lazer, de convívio familiar e de crescimento espiritual. O quadro negro que pintamos é absolutamente real, mas ainda temos uma alternativa para lidarmos com ele. A prática ortomolecular ou, mais apropriadamente, a bioquímica médica, avalia a situação de cada pessoa, em seus aspectos nutricionais, tóxicos, físicos e emocionais, e prescreve uma estratégia individualizada e ecológica para cada um. Apesar de complexa na análise das necessidades de cada indivíduo, a sua prática é simples, consistindo na orientação nutricional mais adequada a cada pessoa, na suplementação com os nutrientes carentes na alimentação e com a prescrição de substâncias que compitam com os elementos tóxicos a que estão expostos os pacientes avaliados. Consiste também no tratamento dos distúrbios da digestão e da absorção de nutrientes pelo trato digestivo, adoecido pelos aditivos alimentares, corantes e conservantes usados, largamente, em nossa alimentação moderna. Faz-se necessária, inclusive, a orientação quanto aos bons hábitos de higiene e educação física, evitando-se o sedentarismo e os vícios, como fumo, drogas (incluindo-se aqui o abuso de medicamentos) etc. 2 Capítulo 1 Todos os recursos disponíveis da medicina são usados para o restabelecimento e o equilíbrio da saúde, sejam clínicos, farmacológicos ou cirúrgicos. Este arsenal de conhecimentos presta-se não somente à manutenção da saúde, como à prevenção de doenças e enfermidades hereditárias (diabete, hipertensão, enfarte, derrame), mas também ao tratamento de afecções agudas (gripes, infecções bacterianas, ferimentos) e crônicas (artrites, dermatites, alergias, câncer), é claro, não dispensa o uso das diversas especialidades médicas, quando necessárias. Lembramos que hoje a prática ortomolecular é essencial e complementar a toda terapêutica médica. Gratifica-nos, sobremodo, a melhora da qualidade de vida, da disposição e do rendimento físico e mental das pessoas que nos procuram e a nossa fidelidade aos dois principais aforismos de Hipócrates, que nos motivaram desde os primeiros dias da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo: Primum non nocere (em primeiro lugar não prejudicar) Sedare dolore opus divinum est (aliviar o sofrimento é obra divina) Afixados nas paredes do nosso Centro Acadêmico, onde fomos, privilegiadamente, diretores do Departamento Científico. Capítulo 2 A Origem da Prática Ortomolecular Podemos remontar a origem da abordagem ortomolecular a 1956, quando Harman, D. propôs a teoria dos radicais livres e de que eles seriam continuamente produzidos no curso do metabolismo celular. Em 1960, Linus Pauling introduziu o conceito de Medicina Ortomolecular nos Estados Unidos da América. McCord, J. M. & Fridowich, I., em 1969, descreveram a existência e a função biológica da enzima superóxido dismutase. Já em 1978, Nohl, H. & Hegner, D. demonstraram um aumento da liberação do radical livre superóxido e do peróxido de hidrogênio na respiração mitocondrial, relacionado com a idade. Tuffik Mattar & Efrain Olszewer, em 1983, introduziram, pioneiramente, no Brasil os princípios da Medicina Ortomolecular e da Quelação. Em 1985, foram criadas a SOBRAMO – Sociedade Brasileira de Medicina Ortomolecular e a ABTO – Associação Brasileira de Terapia Ortomolecular, posterior- mente denominada AMBO – Associação Médica Brasileira de Oxidologia. 2.1. MEUS PRIMEIROS PASSOS NA ÁREA Conheci o Prof. Tuffik Mattar como paciente em meu consultório no hospital da Beneficência Portuguesa de São Paulo, quando ele me convidou para conhecer a nova, na época, especialidade. Jovem e lutando para sobreviver não me interessei, um dos meus pecados. Em 1988, passei a frequentar as reuniões no ambulatório da Associação Paulista de Homeopatia com o Prof Yuji Eguchi, o Prof. Alfredo de Castro e o Prof. Nelson de Luca Filho, entre outros, onde fiquei conhecendo o Dr. Sílvio Laganá de Andrade, pioneiro, no Brasil, na interpretação do Mineralograma Capilar, quem, tomando-me pela mão nos anos 1990, ensinou-me os primeiros passos da ortomolecular. Assim, até meio sem querer, acabei me vendo praticando esta nova abordagem; ainda assim só fui obter o título de habilitação em Oxidologia e Medicina Ortomolecular em 1997, também sob o estímulo do Dr. Sílvio Laganá. Capítulo 2 3 4 Capítulo 2 Capítulo 3 Radicais Livres Não se pode falar de Ortomolecular sem discorrer sobre os radicais livres e sua implicação nos processos fisiológicos e fisiopatológicos do organismo humano. • Na ilustração representando a molécula da água os traços, representando os elétrons, estão pareados. 3.1 CONCEITO DE RADICAL LIVRE • No modelo do ânion hidroxila o traço dentro do círculo representa o elétron ionizante e verifique que os elétrons estão pareados, ou seja, o ânion não é um radical livre. Radicais livres são espécies químicas, neutras ...
View Full Document

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture