Processos_de_usinagem_i_-_aula_04_-_formac3a7c3a3o_de_cavacos.pdf

This preview shows page 1 - 10 out of 45 pages.

1 PROCESSOS DE USINAGEM I Prof. Arthur Bortolin Beskow AULA 04
Image of page 1
PROCESSOS DE USINAGEM I 2 MECANISMO DA FORMAÇÃO DO CAVACO O cavaco é o principal ponto em comum entre os processos de usinagem, pois é o subproduto final presente em todos eles. O cavaco pode variar muito (em tipo, forma, extensão...) para cada operação de usinagem ou mesmo em uma única operação, como por exemplo o torneamento, sendo o resultado final deste função de todas as variáveis envolvidas no processo.
Image of page 2
PROCESSOS DE USINAGEM I 3 MECANISMO DA FORMAÇÃO DO CAVACO A formação do cavaco influência diversos fatores ligados à usinagem, tais como: - desgaste da ferramenta; - os esforços de corte; - o calor gerado na usinagem; - a penetração do fluido de corte, etc. Assim, estão envolvidos com o processo de formação do cavaco aspectos: - econômicos; - de qualidade da peça; - de segurança do operador; - de utilização adequada da máquina-ferramenta, etc.
Image of page 3
PROCESSOS DE USINAGEM I 4 MECANISMO DA FORMAÇÃO DO CAVACO Para fim de estudos da formação do cavaco a maneira mais simples e mais acessível a cálculos é obter o cavaco a partir de um corte ortogonal.
Image of page 4
PROCESSOS DE USINAGEM I 5 MECANISMO DA FORMAÇÃO DO CAVACO No corte ortogonal, a aresta de corte é uma reta normal à direção de avanço, de maneira que a formação do cavaco pode ser considerada bidimensional e que ocorre em um plano normal à aresta de corte, ou seja, no plano de trabalho.
Image of page 5
PROCESSOS DE USINAGEM I 6 MECANISMO DA FORMAÇÃO DO CAVACO Além do corte ortogonal são admitidas algumas outras simplificações: - Os cavacos formados são contínuos sem a formação de aresta postiça de corte; - Não há contato entre a superfície de folga da ferramenta e a superfície usinada; - A espessura de corte (h), equivalente ao avanço (f), é suficientemente pequena em relação à largura de corte (b); - A largura da aresta de corte é maior que a largura de corte (b); - A largura (b) e a largura do cavaco (b’) são idênticas. - A aresta de corte é idealmente afiada e perpendicular ao plano de trabalho. Com essas considerações foi possível determinar o mecanismo de formação do cavaco descrito a seguir.
Image of page 6
PROCESSOS DE USINAGEM I 7 MECANISMO DA FORMAÇÃO DO CAVACO O corte dos metais envolve o mecanismo de cisalhamento concentrado ao longo de um plano chamado plano de cisalhamento (zona primária de cisalhamento). O ângulo entre o plano de cisalhamento e a direção de corte é chamado de ângulo de cisalhamento ( φ ). Quanto maior a deformação do cavaco sendo formado, menor o ângulo de cisalhamento e maiores os esforços de corte . Essa influência é marcante na usinagem de materiais dúcteis, muito suscetíveis à deformação.
Image of page 7
PROCESSOS DE USINAGEM I 8 MECANISMO DA FORMAÇÃO DO CAVACO
Image of page 8
PROCESSOS DE USINAGEM I 9 MECANISMO DA FORMAÇÃO DO CAVACO
Image of page 9
Image of page 10

You've reached the end of your free preview.

Want to read all 45 pages?

  • Fall '19
  • Velocidade, Plasticidade, Aço rápido, DO CAVACO

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

Stuck? We have tutors online 24/7 who can help you get unstuck.
A+ icon
Ask Expert Tutors You can ask You can ask You can ask (will expire )
Answers in as fast as 15 minutes