QUESTOESDOSEMINRIOgabarito_20180605002726 (1).pdf - Curso...

This preview shows page 1 - 3 out of 15 pages.

Curso: Engenharia MecânicaDisciplina: Materiais de construção mecânica Turno: NOITE Professor: Cristiano Elias Valor: 10,0 pontos Data: 13/06/18Atividade 1 Aluno (a): Nota: QUESTÕES DO SEMINÁRIO GABARITO1.Em que consiste, de uma maneira geral, o tratamento térmico? R: Alterar as microestruturas das ligas metálicas e como conseqüência as propriedades mecânicas como o aumento ou diminuição da dureza, aumento da resistência mecânica, melhora da ductilidade, melhora da usinabilidade, melhora da resistência ao desgaste, melhora da resistência à corrosão, melhora da resistência ao calor, melhora das propriedades elétricas e magnéticas, entre outras propriedades mecânicas 2.Quais os cuidados que devemos ter na fase de aquecimento? R: Velocidades de aquecimento muito elevadas podem causar distorções ou, até mesmo, trincas, porém, em alguns casos, velocidades muito baixas de aquecimento pode causar crescimento de grão. (ex: aços fortemente encruados.) 3.Porque as ligas de metais têm maior resistência mecânica do que os metais puros? R: Os elementos de liga criam defeitos na estrutura cristalina, dificultando assim a movimentação de discordâncias. 4. O que é alotropia? O que é anisotropia?R: Alotropia é quando um metal ou não-metal possui, em seu estado sólido, mais de uma estrutura cristalina, dependendo da temperatura e pressão. Materiais de mesma composição química, mas que podem apresentar estruturas cristalinas diferentes, são denominados de alotrópicos ou polimórficos. Geralmente as transformações polimórficas são acompanhadas de mudanças na densidade e mudanças de outras propriedades físicas. O exemplo típico é o grafita e o diamante. Anisotropia é quando as propriedades variam conforme a orientação cristalina. Um exemplo de propriedade que varia com a orientação cristalina é o Módulo de Elasticidade.5.O que é a descarbonetação? Quando pode ocorrer? Como evitar? R: A descarbonetação nada mais é do que a combinação do carbono do aço com o oxigênio livre do ambiente. Este processo conduz à perda de carbono do
aço a partir da sua superfície, fazendo com que a peça fique com uma camada com teor reduzido em carbono. A espessura desta camada dependerá do tempo e da temperatura em que a peça ficará exposta a estas condições. Obviamente esta é uma situação normalmente indesejável, pois a diminuição do teor de carbono conduzirá a uma diminuição na dureza. Este fato se torna mais grave quando realizamos um tratamento térmico de têmpera, pois uma diminuição no teor de carbono provoca uma queda sensível na dureza, já que a dureza da martensita depende do teor de carbono. Assim sendo, as peças submetidas a tratamentos térmicos deverão ser protegidas por uma atmosfera neutra que impeça a descarbonetação. Isto pode ser conseguido utilizando-se fornos que produzam este tipo de atmosfera ou, caso isto não seja possível, deve-se envolver as peças em uma substancia rica em carbono como cavacos de ferro fundido ou carvão.

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture