TRABALHO DE G\u00c1S - INTRODU\u00c7\u00c3O Esta pesquisa trata sobre a instala\u00e7\u00e3o de g\u00e1s predial entende-se que as instala\u00e7\u00f5es prediais representam uma

TRABALHO DE Gu00c1S - INTRODUu00c7u00c3O Esta...

This preview shows page 1 - 4 out of 22 pages.

INTRODUÇÃO Esta pesquisa trata sobre a instalação de gás predial , entende-se que as instalações prediais representam uma importante etapa que deve ser implantada nas edificações , independentemente do seu porte, tipo e destino (residencial,comercial ou industrial). As mesmas devem ser projetadas e executadas de maneira que atendam aos princípios gerais estabelecidos por normas e o responsável direto pela adequação das mesmas é o Engenheiro. O Objetivo desse trabalho é explicar como é feito a instalação predial passo a passo de acordo com as normas aonde é feito as verificações dos serviços para que sejam minimizado os riscos e falhas, desde o projeto e liberação até a entrega para o proprietário (HABITE-SE). 1
1. SISTEMA PREDIAL DE GÁS As instalações prediais para suprimento de gás combustível em residências têm por objetivo a alimentação de fogões domésticos e aquecedores de água e, mais raramente, algum outro equipamento que porventura o necessite. Existem duas formas do gás combustível chegar às residências: - Trazido por caminhões que abastecem centrais que contém recipientes transportáveis ou estacionários – GLP. - através de redes de distribuição pública – GN 1.1. DEFINIÇÃO E COMPOSIÇÃO GLP – GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO: O GLP é um gás composto em sua maior parte de Propano (C3H8) e Butano (C4H10) e, em mínimas porcentagens, de Etano, Metano e frações mais pesadas do petróleo como o Pentano (C5H12), além de produtos insaturados como o Propeno e o Buteno. O projeto e execução de uma instalação de gás GLP em edificações deverão seguir as normas técnicas e também os regulamentos e legislação de prevenção e combate a incêndios e códigos de obras municipais. 1.2.1. LEGISLAÇÃO O GLP ainda é o gás combustível mais utilizado no país. As normas mais utilizadas quando da utilização de GLP são: • NBR 13932:1997 - Instalações internas de gás liquefeito de petróleo (GLP) – projeto e execução. • NBR 13523:1995 - Central predial de gás liquefeito de petróleo. • NBR 14024:1997 - Centrais prediais e industriais de gás liquefeito de petróleo (GLP) – Sistema de abastecimento a granel. • NBR 13103:1994 - Adequação de ambientes residenciais para instalação de aparelhos que utilizam gás combustível. • NBR 14570:2000 – Instalações internas para uso alternativo dos gases GN e GLP – Projeto e execução. 1.2.2 COMPONENTES DO SISTEMA GLP Recipientes Transportáveis: Existem cilindros transportáveis para uso residencial: • 2 kg (P-2) – cilindro de utilização direta (lampiões e fogareiros); • 5 kg (P-5) – requer o uso de válvula reguladora e mangueira; • 13 kg (P-13) - requer o uso de válvula reguladora e mangueira. Em edifícios residenciais, comerciais e industriais, onde é exigido maior consumo, existem cilindros transportáveis. • 45 kg (P-45). • 90 kg (P-90). 2
Recipientes Estacionários: As empresas que comercializam o GLP possuem reservatórios estacionários para grandes consumidores. Possuem reservatórios que vão de 180 kg até 4.000 kg, abastecidos por veículos específicos para esse fim. 1.2.3. INSTALAÇÃO PREDIAL

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture