NBR-_5419_(2005)_Sistema_Proteção_contra_Descargas_Atmosféri

03 08 10 13 17 instalao de alto valor ou materiais

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: nimo, duas vezes a altura de estruturas ou rvores prximas Fator D 0,4 1,0 2,0 Tabela B.5 -- Fator E: Topografia da regio Topografia Plancie Elevaes moderadas, colinas Montanhas entre 300 m e 900 m Montanhas acima de 900 m Fator E 0,3 1,0 1,3 1,7 34 ABNT 2005 - Todos os direitos reservados Cpia no autorizada ABNT NBR 5419:2005 Tabela B.6 -- Exemplos de classificao de estruturas Classificao da estrutura Tipo da estrutura Efeitos das descargas atmosfricas Perfurao da isolao de instalaes eltricas, incndio, e danos materiais Danos normalmente limitados a objetos no ponto de impacto ou no caminho do raio Risco direto de incndio e tenses de passo perigosas Risco indireto devido interrupo de energia e III ou IV 2) risco de vida para animais devido perda de controles eletrnicos, ventilao, suprimento de alimentao e outros Danos s instalaes eltricas (por exemplo: iluminao) e possibilidade de pnico Falha do sistema de alarme contra incndio, causando atraso no socorro Nvel de proteo Residncias III Fazendas, estabelecimentos agropecurios Estruturas comuns1) Teatros, escolas, lojas de departamentos, reas esportivas e igrejas II Bancos, companhias Como acima, alm de efeitos indiretos com a de seguro, companhias perda de comunicaes, falhas dos comerciais, e outros computadores e perda de dados Hospitais, casa de repouso e prises Indstrias Museus, locais arqueolgicos Estruturas com risco confinado Estaes de telecomunicao usinas eltricas Indstrias Estruturas com risco para os arredores Estruturas com risco para o meio ambiente 1) II Como para escolas, alm de efeitos indiretos para pessoas em tratamento intensivo e dificuldade de resgate de pessoas imobilizadas Efeitos indiretos conforme o contedo das estruturas, variando de danos pequenos a prejuzos inaceitveis e perda de produo Perda de patrimnio cultural insubstituvel Interrupo inaceitvel de servios pblicos por breve ou longo perodo de tempo Risco indireto para as imediaes devido a incndios, e outros com risco de incndio Risco de incndio e exploso para a instalao e seus arredores Risco de incndio e falhas de operao, com conseqncias perigosas para o local e para o meio ambiente II III II I Refinarias, postos de combustvel, fbricas de fogos, fbricas de munio Indstrias qumicas, usinas nucleares, laboratrios bioqumicos I I ETI (equipamentos de tecnologia da informao) podem ser instalados em todos os tipos de estruturas, inclusive estruturas comuns. impraticvel a proteo total contra danos causados pelos raios dentro destas estruturas; no obstante, devem ser tomadas medidas (conforme a ABNT NBR 5410) de modo a limitar os prejuzos a nveis aceitveis. Estruturas de madeira: nvel III; estruturas nvel IV. Estruturas contendo produtos agrcolas potencialmente combustveis (ps de gros) sujeitos a exploso so considerados com risco para arredores. 2) ABNT 2005 - Todos os direitos reservados 35 Cpia no autorizada ABNT NBR 5419:2005 B.5 Interpretao dos resultados O mtodo aqui apresentado destina-se a orientar uma avaliao que, em certos casos, pode ser difcil. Se o resultado obtido for consideravelmente menor que 10-5 (1 em 100 000) e no houver outros fatores preponderantes, a estrutura dispensa proteo. Se o resultado obtido for maior que 10-5, por exemplo 10-4 (1 em 10 000), devem existir razes bem fundamentadas para no instalar um SPDA. 36 ABNT 2005 - Todos os direitos reservados Cpia no autorizada ABNT NBR 5419:2005 ABNT 2005 - Todos os direitos reservados 37 Cpia no autorizada ABNT NBR 5419:2005 Anexo C (normativo) Conceitos e aplicao do modelo eletrogeomtrico C.1 Conceitos bsicos C.1.1 O modelo eletrogeomtrico, tambm designado mtodo da esfera rolante ou fictcia, serve para delimitar o volume de proteo dos captores de um SPDA, sejam eles constitudos de hastes, cabos, ou de uma combinao de ambos. um critrio especialmente til para estruturas de grande altura ou de formas arquitetnicas complexas, baseado no mecanismo de formao das descargas atmosfricas. C.1.2 Nas descargas negativas nuvem/terra, que so as mais freqentes, o raio precedido por um canal ionizado descendente (lder), que se desloca no espao em saltos sucessivos de algumas dezenas de metros. medida que avana, o lder induz na superfcie da terra uma carga eltrica crescente de sinal contrrio. Com a aproximao do lder, o campo eltrico na terra torna-se suficientemente intenso para dar origem a um lder ascendente (receptor), que parte em direo ao primeiro. O encontro de ambos estabelece o caminho da corrente do raio (corrente de retorno), que ento se descarrega atravs do canal ionizado. C.1.3 O raio atinge o solo ou uma estrutura no local de onde partiu o lder ascendente e, como este se origina no ponto onde o campo eltrico mais intenso, o trajeto do raio no necessariamente vertical. Isto fica evidente quando estruturas altas so atingidas lateralmente pelos raios, no obstante estarem protegidas por captores no topo. C.1.4 Os pontos de maior intensidade de campo eltrico no solo e nas estruturas so geralmente aqueles mais prximos da extremidade do lder descendente. Portant...
View Full Document

Ask a homework question - tutors are online