Prates - As Assimetrias do Sistema Monetario e Financeiro Internacional

Prates - As Assimetrias do Sistema Monetario e Financeiro Internacional

Info iconThis preview shows pages 1–3. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
263 R. Econ. contemp., Rio de Janeiro, 9(2): 263-288, mai./ago. 2005 AS ASSIMETRIAS DO SISTEMA MONETÁRIO E FINANCEIRO INTERNACIONAL * Daniela Magalhães Prates ** RESUMO Este artigo pretende avançar na compreensão das causas da maior vulne- rabilidade dos países “emergentes” às crises financeiras nos anos 90 a partir de uma abordagem heterodoxa. Argumenta-se que as assimetrias do sistema monetário e financeiro internacional contemporâneo contribuem para explicar essa maior vul- nerabilidade, bem como a tendência ao endividamento em moeda estrangeira e à dolarização, fatores subjacentes à recorrência de crises gêmeas — cambiais e bancá- rias — nesses países. Palavras-chave: crises financeiras; países emergentes; sistema monetário e finan- ceiro internacional; centro-periferia; fluxos de capitais Código JEL : F020; F310 THE ASYMMETRIES OF THE INTERNATIONAL MONETARY AND FINANCIAL ABSTRACT The purpose of this article is to develop an heterodox interpretation of the financial crises of the so called “emergent countries” occurred in the 90s. It ar- gues that the asymmetries of the international monetary and financial system ex- plain the greater vulnerability of these countries to those crises. Such asymmetries also give rise to two particularities that underlines their twin character (currency and bank crises) in the “emergent” countries: the dollarization and the indebted- ness in foreign currencies. Key words: financial crises; emergent countries; international monetary and fi- nancial system, center-periphery; capital flows * Artigo recebido em 19 de agosto de 2004 e aprovado em 9 de março de 2005. ** Professora doutora do Instituto de Economia/Unicamp, e-mail: daniprates@uol.com.br
Background image of page 1

Info iconThis preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

View Full DocumentRight Arrow Icon
264 R. Econ. contemp., Rio de Janeiro, 9(2): 263-288, mai./ago. 2005 INTRODUÇÃO A freqüência de crises financeiras 1 aumentou de forma considerável nos anos 80 e 90, relativamente às décadas anteriores, tanto nos países centrais quanto nos emergentes. 2 Contudo, no caso desses países, as crises cambiais foram mais recorrentes e as crises bancárias mais severas. Além disso, essas crises tenderam a se converter em crises cambiais, da mesma forma que es- sas últimas ameaçaram a estabilidade dos sistemas financeiros domésticos, ou seja, as crises tiveram, de forma geral, um caráter gêmeo (Eicheengreen e Bordo, 2002). As sucessivas crises financeiras dos países emergentes na segunda meta- de da década de 1990 despertaram o interesse dos economistas do mains- tream. 3 Como reconheceram esses mesmos economistas, os modelos de crises cambiais desenvolvidos nos anos 80, conhecidos como modelos de primeira geração, 4 se revelaram insuficientes para a compreensão desses eventos, que apresentaram características até então praticamente ignoradas pela literatura convencional, como imprevisibilidade e desvinculação com os fundamentos fiscais e monetários dos países. Nesse contexto, os teóricos do
Background image of page 2
Image of page 3
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Page1 / 26

Prates - As Assimetrias do Sistema Monetario e Financeiro Internacional

This preview shows document pages 1 - 3. Sign up to view the full document.

View Full Document Right Arrow Icon
Ask a homework question - tutors are online