cap8 - Capítulo 8 Introdução à Estabilidade de Tensão...

Info iconThis preview shows pages 1–3. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon

Info iconThis preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

View Full DocumentRight Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: Capítulo 8 Introdução à Estabilidade de Tensão 8.1 Introdução Além dos fenômenos de estabilidade angular já estudados, a possibilidade de ocorrência de problemas ligados à estabilidade de tensão vem se tornando, no passado recente, um assunto de grande preocupação nas empresas de energia elétrica do mundo inteiro. Os fenômenos de estabilidade de tensão estão intrinsecamente ligados ao fluxo de potência reativa sobre a rede, ao comportamento das cargas face a variações de tensão, à ação de dispositivos automáticos de controle de tensão e limitação de sobre-excitação de geradores, etc.. Este capítulo pretende introduzir os principais conceitos ligados à estabilidade de tensão e apresentar um método de análise qualitativa do fenômeno baseado no uso das características S Y da rede elétrica e das cargas. 8.2 Transmissão de Potência Reativa 8.2.1 Análise Utilizando Modelos Simplificados Para o modelo simplificado de sistema de potência da Fig. 1, verificamos que a potência aparente entregue ao terminal receptor é: Figura 1: Modelo simplificado de sistema de potência. V u @ S u . mT u @ b H u b L @ b H u H v _ H u m[ ou V u @ H v H u [ vhq . m H v H u [ frv H 5 u [ 1 Capítulo 8 Introdução à Estabilidade de Tensão e portanto: S u @ H v H u [ vhq T u @ H v H u [ frv H # u [ (8.1) Para o terminal gerador, seguindo o mesmo procedimento, obteríamos: S v @ H v H u [ vhq T v @ H # v [ H v H u [ frv (8.2) Observe que o fato de que S v @ S u confirma o fato de que o sistema simplificado é sem perdas. Os resultados para potência ativa são as expressões familiares utilizadas na análise de estabilidade via curvas potência-ângulo. Para a potência reativa, verificamos que T v 9 @ T u = Deve ser também observado que valores positivos de T v e T u seguem o sentido indicado na Fig. 1. Para avaliar a variação da magnitude das potências ativa e reativa no tempo, suponhamos inicialmente que H v @ H u = Definamos também S pd{ @ H v H u [ Neste caso, verificamos facilmente que T v @ T u @ H 5 H 5 frv [ (8.3) As curvas de potência ativa e potência reativa em função do ângulo estão mostradas na Fig. 2. Como sabemos, a operação estável só é possível para ? <3 r . Não obstante, observamos a grande variação da potência reativa para valores altos de = Para @ <3 r , verificamos que a potência reativa a ser gerada em cada um dos terminais, do gerador e da carga (observe o sinal de T u ) é igual a S pd{ ! Estaremos entretanto mais interessados nesta seção em situações em que as magnitudes de tensão nos extremos da linha são variáveis, e especialmente quanto à potência reativa que pode ser transmitida por uma linha ou um transformador quando a tensão na carga sofre um afundamento durante uma situação emergencial. Para melhor distinguir esta situação, deno- taremos a partir de agora as tensões complexas nos dois extremos da linha por Y v _ e Y u _ 3 ....
View Full Document

This note was uploaded on 06/12/2011 for the course ENGG 601 taught by Professor Sadsa during the Spring '11 term at Punjab Engineering College.

Page1 / 16

cap8 - Capítulo 8 Introdução à Estabilidade de Tensão...

This preview shows document pages 1 - 3. Sign up to view the full document.

View Full Document Right Arrow Icon
Ask a homework question - tutors are online