Relatório Gerador de Van der Graaf

Relatório Gerador de Van der Graaf -...

Info iconThis preview shows pages 1–5. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CORNÉLIO PROCÓPIO GERÊNCIA DE ENSINO E PESQUISA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MECÂNICA <NOME> <NOME> <NOME> <NOME> THEODORE ALEXANDER DE CAMPOS STIHAIENCO FÍSICA III RELATÓRIO DE LABORATÓRIO CORNÉLIO PROCÓPIO
Background image of page 1

Info iconThis preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

View Full DocumentRight Arrow Icon
2011THEODORE ALEXANDER DE CAMPOS STIHAIENCO <NOME> <NOME> <NOME> <NOME> FÍSICA III RELATÓRIO DE LABORATÓRIO Trabalho apresentado como requisito parcial à aprovação na unidade curricular de Física III, do Curso Superior de Engenharia Industrial Mecânica, da Gerência de Ensino e Pesquisa, do Campus Cornélio Procópio, da UTFPR. Orientador: Prof. Ricardo CORNÉLIO PROCÓPIO 2011
Background image of page 2
Experimento 2 – Gerador de Van der Graaf (VDGG) Índice 1 - INTRODUÇÃO 1.1 Fundamentação Teórica 1.1.1 Processos de Eletrização 1.1.2 Poder das Pontas 1.1.3 Lei de Paschen 1.2 Funcionamento do VDGG 2 - EXPERIMENTO 3 - RESULTADOS 4 - CONCLUSÃO 1 – Introdução Neste relatório serão expostos os resultados e considerações feitos durante o experimento feito em laboratório, bem como elencadas as bases teóricas utilizadas para a realização do mesmo. O experimento realizado constitui na utilização e análise do equipamento chamado Gerador de Van der Graaf, que utiliza-se da eletrização de objetos por atrito para gerar eletricidade. 1.1 Fundamentação Teórica Antes da apresentação dos resultados propriamente ditos, será feita a exposição das bases teóricas por trás da execução da experiência
Background image of page 3

Info iconThis preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

View Full DocumentRight Arrow Icon
1.1.1 Processos de Eletrização Para entendermos como ocorre o funcionamento do VDGG, primeiramente é necessário ter uma base sobre como ocorre a eletrização dos objetos. Eletrização por Atrito (Efeito Triboelétrico) Basicamente, o efeito triboelétrico constitui no fato de objetos perderem ou ganharem elétrons quando atritados. Com isso chegamos à chamada Série Triboelétrica, que elenca em ordem crescente os objetos que tendem a se tornarem mais negativos, ou seja, ganham elétrons com mais facilidade. A Tabela 1 a seguir constitui um apanhado resumido desta série, que servirá de recurso para o experimento: Ar Vidro Fibra sintética (acrílico, nylon) Alumínio Papel Algodão Madeira Borracha PVC Tabela 1 – Série Triboelétrica (Resumida) Eletrização por Contato Eletrização por contato é o que ocorre quando dois objetos de cargas diferentes entram em contato físico. Suponhamos que um objeto 1 de carga Q 1 , positiva, entre em contato com um objeto 2 de carga Q 2 = 0. No momento do contato físico, ambos os objetos passariam a ter uma carga , positiva, que se manteria mesmo depois que os objetos deixassem de se tocar.
Background image of page 4
Image of page 5
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

This note was uploaded on 11/02/2011 for the course DAMEC 32 taught by Professor Sandra during the Spring '11 term at Federal University of Technology.

Page1 / 10

Relat&Atilde;&sup3;rio Gerador de Van der Graaf -...

This preview shows document pages 1 - 5. Sign up to view the full document.

View Full Document Right Arrow Icon
Ask a homework question - tutors are online