51contribuir para o desenvolvimento sustentvel do

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: dos apurados no 1º semestre de 2009 para cada uma das Acções e respectivos objectivos operacionais, conclui-se o seguinte: Relativamente à Acção 1 e no que respeita à correcta referenciação dos utentes, verifica-se uma evolução positiva na avaliação dos pedidos de reavaliação efectuados pelas ECL ao longo do período de análise (indicador 1.1.1). Por outro lado, o processo de validação da referenciação por parte das ECL revela igualmente uma melhoria face a 2008, e consequentemente um aumento da qualidade da referenciação das EGA/Centros de Saúde (indicador 1.2.1). No que se refere à Acção 2 e relativamente à análise do grau de autonomia física procedeu-se à introdução de 3 novos indicadores operacionais que dizem respeito à evolução do grau de autonomia dos utentes nas 3 tipologias de internamento: Unidade de Convalescença (UC), Unidade Média Duração e Reabilitação (UMDR) e Unidades de Longa Duração e Manutenção (ULDM). Os valores do 1º semestre de 2009 mostram ganhos de autonomia em todas as tipologias, mesmo na tipologia onde o esperado era não existir agravamento – ULDM. (Indicadores 2.1.1., 2.1.2. e 2.1.3.) Quanto ao processo de transição verificou-se que foram cumpridos os objectivos definidos para garantir que os pedidos de transição fossem efectuados com um tempo máximo de 15 dias quando uma vaga for identificada (indicador 2.2.1). Quanto à qualidade da prestação de cuidados continuados integrados de saúde e de apoio social verificase uma boa avaliação efectuada pelas ECL às unidades prestadoras e o excelente trabalho que as ECL têm vindo a desenvolver no acompanhamento e monitorização das unidades prestadoras. (Indicadores 2.3.1 e 2.3.2). Por último, verifica-se o não cumprimento da Acção 3, a qual pretende dar cumprimento ao objectivo operacional de adequação da oferta de serviços de saúde e sociais face às necessidades da sociedade. Este resultado deve-se, fundamentalmente, ao atraso das aprovações do Programa Modelar, que ocorreram apenas no início de 2009, o que originou um atraso na execução destes projectos e consequentemente da abertura de novas unidades. C...
View Full Document

This document was uploaded on 11/28/2013.

Ask a homework question - tutors are online