Grfico ii11 ndice harmonizado de preos no consumidor

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: ão nos mercados financeiros internacionais e a uma redução progressiva dos prémios de risco que se mantiveram, no entanto, em níveis superiores aos registados antes do início da crise financeira. Assim, num quadro de menor volatilidade, incerteza e aversão ao risco, reflectida, entre outros, na evolução positiva dos mercados bolsistas, as perspectivas sobre a actividade económica global tornaramse gradualmente menos negativas a partir do 2.º trimestre de 2009, antevendo-se um crescimento positivo da actividade e do comércio internacional no 2.º semestre do ano para a generalidade das economias avançadas. De facto, os indicadores de confiança melhoraram e os dados quantitativos relacionados com a actividade industrial, com as vendas a retalho e com o mercado de habitação apresentaram-se menos negativos. Por sua vez, a recuperação económica da generalidade dos países desenvolvidos provocou o aumento significativo da procura de petróleo, desencadeado uma subida do seu preço e contribuindo para a melhoria da situação económica de muitos países emergentes e em desenvolvimento. Apesar do quadro de maior confiança que se começou a desenhar no segundo semestre, a recessão económica e o enfraquecimento da procura mundial que caracterizaram o ano de 2009 tiveram como consequência a diminuição da taxa de inflação, devendo esta situar-se em 0,1% para as economias avançadas (3,4% em 2008) e em 5,5% para as economias emergentes e em desenvolvimento (9,3% em 95 RELATÓRIO OE2010 Economia Portuguesa: Evolução Recente e Perspectivas para 2010 2008). Neste âmbito, a política monetária da generalidade dos países (nomeadamente da área do euro, Reino Unido e EUA) teve um pendor marcadamente acomodatício, tendo os respectivos Bancos Centrais diminuído as taxas de juro directoras, que se situaram, no final de 2009, em níveis historicamente baixos: 1% na área do euro (2,5% no final de 2008); 0,5% no Reino Unido (2% no final de 2008); entre 0% e 0,25% nos EUA. Reflectindo a quebra das taxas de juro directoras, as taxas de juro de curto prazo, tanto na área do euro como nos EUA,...
View Full Document

Ask a homework question - tutors are online