No final do ano de 2009 a capitalizao bolsista total

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: unciada nos serviços, sector que apresentou uma variação homóloga média de -0,4% durante este período. Por outro lado, nas actividades relacionadas com a agricultura, silvicultura e pescas, e no sector que engloba a indústria, construção, energia e água, em termos médios as quebras homólogas do emprego atingiram, respectivamente, -5,9% e -6,2%. Até ao final de Setembro de 2009, o crescimento homólogo do número de desempregados foi, em termos médios, mais pronunciado entre os homens (33,3%) do que entre as mulheres (12,8%), verificando-se também um forte contraste entre a evolução do número de desempregados à procura de novo emprego (aumento de 26,5%) e o número de desempregados à procura de primeiro emprego (diminuição de 5,8%). O valor médio da taxa de desemprego ao longo dos três primeiros trimestres de 2009 cifrou-se em 9,3%, 1,8 p.p. acima do valor observado em igual período de 2008. No quarto trimestre do ano, os dados do IEFP apontam para um menor crescimento homólogo do número de novos desempregados (0,4%, face a 14,8% no terceiro trimestre), bem como uma aceleração nas colocações (crescimento homólogo de 101 102 RELATÓRIO OE2010 Economia Portuguesa: Evolução Recente e Perspectivas para 2010 17,7% que compara com 2,5% no terceiro trimestre), indiciando, assim, um abrandamento no ritmo de subida da taxa de desemprego. Em virtude da evolução intra-anual observada, que conduziu a taxa de desemprego até aos 9,8% no terceiro trimestre do ano, e considerando também os dados disponíveis para o último trimestre de 2009, estima-se que no conjunto do ano a taxa de desemprego se venha a fixar em 9,5%. Depois do forte crescimento observado em 2008, as remunerações nominais por trabalhador deverão ter exibido uma ligeira desaceleração em 2009 (para 2,8%), reflectindo assim a evolução desfavorável do emprego, que terá registado uma diminuição de 0,9% no emprego remunerado. Gráfico II.8. Remunerações Nominais por Trabalhador (Taxa de variação, em %) 10,0% 8,0% 6,0% 4,0% 2,0% 0,0% -2,0% 2000 2001 2002 Emprego remunerado 2003 2004 2005 Remunerações 2006 2007 2008 2...
View Full Document

This document was uploaded on 11/28/2013.

Ask a homework question - tutors are online