A ntida melhoria das expectativas dos operadores dos

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: ompetitividade À semelhança do que havia ocorrido em 2008, a produtividade por trabalhador exibiu uma ligeira diminuição durante 2009, reflectindo uma utilização menos intensiva do factor trabalho, consentânea, aliás, com a contracção do emprego total menos pronunciada do que a contracção observada na actividade económica. Paralelamente, as remunerações por trabalhador registaram um crescimento de 2,8%, em 2009, 0,4p.p. abaixo do valor observado no ano anterior, conduzindo a um menor ritmo de crescimento dos custos unitários do trabalho (de 3,7% em 2008 para 2,4% em 2009). Gráfico II.12. Custos Unitários do Trabalho (Taxas de variação, em %) 7,0% 6,0% 5,0% 4,0% 3,0% 2,0% 1,0% 0,0% -1,0% 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009(e) Remuneraçõ es po r trabalhado r P ro dutividade po r trabalhado r Custo s unitário s do trabalho Legenda: e – estimativa. Fontes: INE e Ministério das Finanças e da Administração Pública. Não obstante a desaceleração no crescimento dos custos unitários do trabalho, os dados divulgados pela Comissão Europeia revelam que, ao longo dos três primeiros trimestres de 2009, a competitividade RELATÓRIO OE2010 Economia Portuguesa: Evolução Recente e Perspectivas para 2010 externa portuguesa foi negativamente afectada pela evolução desta variável, quando comparado com um conjunto de países mais restrito - incluindo os da área do euro – que concorrem com Portugal nos mercados internacionais. Ainda assim, no segundo e no terceiro trimestres de 2009, as exportações portuguesas conquistaram alguns ganhos de quota nos mercados internacionais. Esta evolução poderá ser motivada, por um lado, por uma menor sensibilidade das exportações portuguesas ao enquadramento económico internacional em comparação com os seus principais concorrentes e, por outro lado, pelo efeito da diversificação dos destinos das exportações portuguesas. Num contexto de diminuição acentuada das nossas exportações para a UE – onde se encontra uma parte significativa dos nossos parceiros comerciais –, a diversificação para outros mercados mais dinâmicos permite uma queda menos expressiva das exportações totais, condu...
View Full Document

Ask a homework question - tutors are online