ento reconhecido que o termo tenha surgido

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: es o poder de decisão no seguimento da C&T. Como progressivamente a C&T passou a ser considerada portadora de potencialidades para o desenvolvimento econômico e social, houve uma reestruturação institucional do aparato governamental dedicado ao setor. Neste momento, o paradigma da política científica sofreu uma mudança significativa, passando de uma racionalidade ofertista, que caracterizou o período anterior, para uma racionalidade de identificação de prioridades. Diante desta reestruturação, foram incorporados gestores e formuladores de políticas públicas em C&T, que passaram a demandar indicadores quantitativos capazes de demonstrar as tendências do setor e os resultados das políticas implantadas (VELHO, 1997). 65 O Estado, como principal financiador do sistema de C&T, em meados do ano de 1970, não tinha participação ativa nas decisões e orientações relacionadas ao desenvolvimento científico nacional, delegando as decisões aos próprios cientistas que eram praticamente os únicos responsáveis pela definição de suas agendas de pesquisa e de campos de atuação. Nota-se que, neste mesmo período, este sistema de alocação de recursos, baseado na avaliação pelos pares, passa a ser questionado devido a fragilidades e possíveis atos de parcialidade. Tal fato, também contribuiu fortemente para a adoção de métodos quantitativos para a análise de mérito, passando a ser um instrumento complementar comumente utilizado no campo da CT&I. A complexidade do paradigma vigente de avaliação da Produção Científica, segundo Poblacion (2001), tem motivado reflexões sobre a validade e importância dos critérios da avaliação realizada por pares ou por consultores, por meio de indicadores socioeconômicos ou por métodos quantitativos que aplicam técnicas das disciplinas informétricas, bibliométricas, econométricas e cientométricas. Considera-se a preocupação em acompanhar e planejar as atividades e o desenvolvimento da C&T legítima e os indicadores bibliométricos podem contribuir nesse processo, no entanto é necessário que se tenha cautela ao elaborá-los e utilizá-los. Temese, por exemplo, que haja priorização exagerada de atividades que geram publicações e patentes em detrimento de outras importantes atividades, difíceis de serem mensuradas quantitativamente (como é o caso das atividades relacionadas ao ensino e extensão). Além disso, a exigência de uma intensiva produção, imposta aos acadêmicos no modelo atual de avaliação, pode causar a multiplicação de textos de baixa qualidade. Thomas Kuhn (1982), diante do paradigma do publish or perish, talvez concordasse que houve um período de “ciência normal” e que agora, com as discussões e questionamentos no centro dos debates, tal máxima dá sinais de não condizer totalmente com a realidade, já demonstrando sinais de “anomalia”. 5.2.1 Bibliometria e suas relações com outras disciplinas As primeiras técnicas dedicadas a estudar os indicadores científicos surgiram mais fortemente em meados da década de 70 e já se encontram em pleno desenvolvimento, ou seja, em idade adulta. Um dos métodos para o estudo do sistema de ciência, tecnologia e inovação é oferecido por um campo disciplinar denominado...
View Full Document

This document was uploaded on 01/24/2014.

Ask a homework question - tutors are online