A rcher daniels m idland c ompany a rizona c hemical

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: s no tema. Matérias-primas pelas organizações Fazendo-se exame do ranking da quantidade de matérias-primas por organização (ANEXO X), pode-se perceber que não existe uma lógica simples ou 247 uma regularidade entre a quantidade de matérias-primas e patentes. A média geral de patentes por matérias-primas pelas organizações é de 0,4. Pode-se notar que, via de regra, as organizações com maior número de patentes, possuem, proporcionalmente, em média, um menor número de matériasprimas. Apesar desta constatação, nota-se que as diferenças não são tão expressivas, variando entre 0,4 patentes por matérias-primas (entre os primeiros do ranking) e 0,7 (entre as últimas organizações do ranking). Entende-se que, de modo geral, não se pode afirmar que existe domínio tecnológico em determinada matéria-prima por uma ou outra organização. Dada à grande dispersão, entende-se que não existe a possibilidade de realizar inferências com certa relevância. Essa grande dispersão de matérias-primas nas patentes pode ter como objetivo de confundir o leitor/concorrente, visto que esse documento tradicionalmente não tem as mesmas pretensões de comunicação que artigos científicos, podendo haver a pretensão contrária, ou seja, a de dificultar a comunicação. Obviamente esta afirmação é hipotética e carece de maior investigação, no entanto, autores como Garcia (2006) esclarecem que existem diversas limitações inerentes ao processo de descrição de patentes. As matérias-primas pelos tipos de organizações O Gráfico 23 evidencia que em 41 das 68 matérias-primas e a “Matéria-prima não indicada”, o que totaliza, aproximadamente, 70% delas, estão presentes nas patentes registradas por ambas as organizações (EIPPs e IEIPPs). Considera-se que esse indicador demonstra relações verticais entre a Ciência e a Tecnologia. O Gráfico 23 contém as matérias-primas que coocorrem nas patentes das EIPPs e IEIPPs. Visando o detalhamento e aprofundamento das informações apresentadas no Gráfico 23, indicam-se as porcentagens e proporções do número de ocorrência de matérias-primas nas patentes registradas por Empresas e Institutos Privados de Pesquisa (EIPPs) e Instituições de Ensino e Institutos Públicos de Pesquisa (IEIPPs). 248 Óleo vegetal não especificado Gordura animal (não especificada) Matéria-prima não indicada Rapeseed - Colza/Canola (Brassica napus L.) Soybean - Soja ( Glycine max (L.) Merr.) Sunflower - Óleo de girassol (Helianthus annnuus L.) Resíduos/sobras de gordura animal e/ou vegetal (especialmente óleo de … Corn - Milho (Zea mays L.) Palm oil - Óleo de palma (Elaeis guineensis Jacq.) Coconut - coco (Cocos nucifera L.) Peanut/Groundnut - Amendoim (Arachis hypogaea L.) Cottonseed - Semente do algodoeiro (Gossypium hirsutum L.) Linseed - Linhaça (Linum usitatissimum L.) Castor - Mamona (Ricinus communis L.) Gordura animal (suino) Gordura animal (bovino) Olive oil - Óleo de oliva (Olea europaea L.) Safflower - Cártamo (Carthamus tinctorius L.) Poppy seed- Semente da Papoula (Papaver somniferum L.) Óleo de Peixe (arenque, salmão, sardinha, etc) Ethiopian mustar...
View Full Document

Ask a homework question - tutors are online