Alguns autores preferem demonstrar os principais

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: os a livros e outros meios de comunicação, aconselhando sua utilização em todos os estudos que buscassem quantificar o processo de comunicação escrita”. (BUFREM e PRATES, 2005, p. 11). Sengupta (1992) afirma que o primeiro estudo bibliométrico foi elaborado por Campbell em 1896, utilizando métodos estatísticos para estudar a dispersão de assuntos em publicações. Outros estudos bibliométricos considerados clássicos são o de Cole e Eales, publicado em 1917 (o qual ainda utilizava a 70 antiga terminologia “bibliografia estatística”), que estudou o crescimento da literatura em anatomia comparativa no período de 1850-1860. Hulme em 1923 publicou outro trabalho considerado pioneiro, usando a contagem de documentos com foco na história da ciência e da tecnologia (HOOD e WILSON, 2001, p. 292). Outros trabalhos clássicos, que não poderiam deixar de ser citados, e que são referência tanto para a Bibliometria, quanto para Cientometria e Informetria, Webometria, Patentometria, Biblioteconometria, etc., são os que deram origem às famosas três clássicas leis da Bibliometria: Lei de Lotka (1926), Bradford (1934) e Zipf (1949). Cada uma destas leis leva o nome dos seus formuladores, seguindo a máxima “muitos com pouco e poucos com muito”. Dois trabalhos em português podem ser consultados para aqueles que desejam obter maior conhecimento sobre estas e outras leis aplicáveis a diversos Estudos Métricos da Informação: Araújo (2006) e Guedes e Borschiver (2005). Cientometria A Cientometria para Callon, Courtial e Penan (1995, p.9) está associada ao surgimento, no ano de 1979, de uma revista intitulada Scientometrics, sendo resultante da convergência de dois movimentos que se desenvolveram, inicialmente, de modo isolado e independente: a ciência da ciência nos Estados Unidos e a naukovodemia nos países do leste. O termo naukometriya - também encontrado na literatura como naukovodemia -, é considerado como equivalente russo do termo Cientometria. O termo foi cunhado em 1969 por Vassily V. Nalimov e Z. M. Mulchenko. É, então, reconhecido que o termo tenha surgido primeiramente na Rússia, mas pouco difundido e citado nos países do oeste, provavelmente pela limitada disseminação causada pela, até então, ausência da internet ou por barreiras linguísticas. Com o reconhecimento internacional pelo pioneirismo do emprego do termo por Nalimov e Mulchenko passou este a ser mais difundido por meio da tradução em inglês da clássica monografia Naukometriya, publicada em 1973. Nos Estados Unidos e em outros países do oeste, a partir do que se convencionou chamar “ciência da ciência”, alguns autores como Robert K. Merton e Eugene Garfield identificaram Derek Solla Price como o pai da Cientometria, porque seus estudos tiveram grande impacto no uso de indicadores quantitativos para a formulação de políticas científicas. Na primeira edição do livro Little 71 Science, Big Science, publicado por Solla Price em 1963, o...
View Full Document

This document was uploaded on 01/24/2014.

Ask a homework question - tutors are online