Desse modo pode se afirmar que no existem organizaes

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: 007) 214 Observa-se, ao longo do período de 2000 a 2005, média positiva em todas as categorias. O comportamento evolutivo, grosso modo, é bastante semelhante entre: comportamento evolutivo relativamente estável, com uma queda no crescimento no ano de 2004 e um pico em 2005. Há que se comentar que existe quantidade expressiva de patentes na categoria “Pessoa física”, com crescimento constante. Para se ter noção, existe maior taxa de crescimento médio (no período entre 2000 e 2005) de registro de patentes por “Pessoa física” que de EIPPs. Outro aspecto importante refere-se à quantidade, relativamente, alta de organizações enquadradas em “Não identificado”. A evolução das patentes enquadradas nessas organizações é crescente e, de certa forma, preocupante, pois remete ao problema de qualidade dos dados de patentes disponíveis. Apesar do número total de Instituições de Ensino e Institutos Públicos de Pesquisa (IEIPPs) ser, significativamente, menor quando comparado com o de Empresas e Institutos Privados de Pesquisa (EIPPs), constata-se que o primeiro demonstra uma taxa de crescimento maior que o do segundo. Enquanto IEIPPs cresceram, em média, no período (2000-2005), aproximadamente, 70%, as EIPPs cresceram menos, ou seja, 45%. Independentemente do comportamento evolutivo de cada um dos tipos de organizações, pode-se afirmar que existe considerável ocorrência de IEIPPs na geração e divulgação de conhecimentos, ditos, tecnológicos. Portanto, pode-se inferir que, ao estudar esse indicador que considera as distintas categorias de organizações com patentes, foi possível encontrar importantes e relevantes relações verticais entre a Ciência e a Tecnologia (Ciência Tecnologia). A Tabela 16 apresenta um ranking das 41 organizações que mais registraram patentes em biodiesel no período entre 2000 e 2007, o qual também apresenta a ocorrência de patentes de “Pessoa física”. A produção das 41 organizações corresponde a, aproximadamente, 28% de toda a Produção Tecnológica gerada ao longo dos 8 anos de análise. A quantidade de patentes de “pessoa física” é de, aproximadamente, 24%. O ranking completo pode ser visualizado no ANEXO VII. Analisando-se os dados parciais das 41 organizações mais produtivas (com, no mínimo, 3 patentes), visualiza-se que as principais organizações produtoras de patentes em biodiesel estão na França, Alemanha, China, Índia, Finlândia e Estados 215 Unidos. Mesmo assim, nenhum país possui uma organização que se destaca fortemente, sendo notória a dispersão da produção pelas organizações. Tabela 16 – Organizações com no mínimo 3 patentes registradas e patentes de “pessoa física” em biodiesel (2000-2007) Organização País(es) Pessoa física Diversos* IFP - Innovation, Énergie, Environnement (Institut Français de Petrol) Clariant Qinghua University MONSANTO S.A.S. França Council of Scientific and Industrial Research Neste Oil Afton Chemical Corporation CDM Consulting Co., Ltd. Petrobrás - Petróleo Brasileiro S.A. South China University of Technology Stepan Company Total**...
View Full Document

This document was uploaded on 01/24/2014.

Ask a homework question - tutors are online