Finalmente o manual de camberra nem sequer menciona

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: tendo um papel primordial para o sucesso inovativo e permanecem difíceis (senão impossíveis) de serem transferidos. Mensurando um Sistema Nacional de Inovação Medir os diferentes aspectos do processo de inovação não é uma tarefa trivial. O reconhecimento deste processo como interativo e não linear reforça as dificuldades de se medir suas dimensões e direções. O fato é que, dada a complexidade dos processos envolvidos, não há um indicador sem limitações. A solução são as “medidas aproximadas” e indiretas tanto de mudança quanto do aprendizado tecnológico, mesmo com seus defeitos e limitações (COSTA, 2003). Diante de novos paradigmas, como a profunda revisão na tradição Mertoniana em sociologia da ciência (que fornecia os fundamentos epistemológicos para vários indicadores tradicionais) e os ocorridos na economia, que começaram a deslocar as hipóteses de informação perfeita e hiperracionalidade para explicar a mudança técnica e cunhou o conceito de Sistema Nacional de Inovação, Velho (1997) questiona: Como ficam, então, os indicadores científicos se a base teórica que lhes dava sustentação está prestes a desmoronar? Eles perdem a validade? Serão capazes de sobreviver a mudanças teóricas profundas? Nesse caso, qual o significado dos indicadores científicos à luz das novas tendências teórico-conceituais nos estudos sociais da C&T? (VELHO, 1997, p.12). A visão tradicional da inovação como um processo linear levou à construção e análise de indicadores de inputs, outputs e dos impactos da 58 inovação. Esta concepção linear estava presente nos trabalhos iniciais de Schumpeter, à medida que identificava uma sequência que iniciava com uma invenção, seguida pela inovação e então sua difusão (ARCHIBUGI 1988, apud COSTA, 2003). O indicador clássico da performance da inovação é o gasto em P&D como proporção do PIB. Mas existem problemas óbvios com sua utilização, como é o fato de refletir apenas um esforço de insumo e não mensurar o resultado tecnológico alcançado com este gasto. Também, o uso apenas deste indicador parece expressar a incorporação de uma visão tradicional de aprendizagem. A percepção, no âmbito da teoria, de que a inovação é um processo extremamente complexo, não linear, resultado de uma multiplicidade de interações entre os vários componentes de um sistema – um sistema de inovação –, traz importante contribuição para a busca de novos indicadores e para a análise dos tradicionais. No final da década de oitenta, início dos noventa, o entendimento da inovação como um processo interativo, segundo modelos chainlinked, implica o reconhecimento da necessidade de análises simultâneas de vários fatores. A visão linear, que implicava a análise isolada de inputs, outputs e impactos da inovação é reconhecidamente incapaz de captar os diferentes aspectos das atividades tecnológicas, particularmente as interações entre os agentes (COSTA, 2003). Diante de tantos fatores a serem con...
View Full Document

This document was uploaded on 01/24/2014.

Ask a homework question - tutors are online