Por outro lado elas algumas vezes podem publicar os

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: elos países podem ser consultadas no ANEXO V. Apesar de não possuírem padrões e quantitativos tão 168 evidentes quanto às apresentadas, merecem análises cuidadosas dos interessados no tema. As matérias-primas pelas organizações Fazendo-se o exame do ranking da quantidade matérias-primas por organização (ANEXO V), pode-se perceber que não existe uma lógica simples ou uma regularidade entre o número de matérias-primas e artigos. A média geral de artigos por matérias-primas pelas organizações é de 1,2. Pode-se notar que, via de regra, as organizações com maior número de artigos, possuem proporcionalmente em média, um menor número de matériasprimas. A proporção média de artigos por matérias-primas das 32 primeiras organizações do ranking é de, aproximadamente, 2,6 (artigo/matéria-prima). Nas 49 próximas organizações a média cai para 1,8. E nas demais organizações (476 no total) a média é de 1 artigo por matéria-prima. Entende-se que, de modo geral, não se pode afirmar categoricamente que existe domínio científico em determinada matéria-prima por uma ou outra organização. Pode-se dizer, em alguns poucos casos, que existem indícios disso. A organização United States Department of Agriculture é um dos poucos exemplos em que se pode afirmar existirem fortes indícios de domínio científico em determinadas matérias-primas. A organização estadunidense possui um número relativamente representativo de matérias-primas (58) e pouco disperso (proporção de 3,9 artigos por matérias-primas) para que se possa afirmar que a mesma possui, em tese, domínio em 15 diferentes matérias-primas. Acredita-se que tal afirmação também possa ser feita nos casos da organização Indiana Indian Institute of Technology (37 artigos; proporção de 3; e, 12 matérias-primas), da organização chinesa Tsinghua University (30 artigos; proporção de 4,3; e, 7 matérias-primas). Outras organizações chamam a atenção por possuírem um comportamento oposto, ou seja, possuem um número de artigos por matéria-prima muito menor. Esse fato pode ser considerado como indício de que haja pouco domínio científico, devido à dispersão demonstrada. Esse é o caso da organização brasileira denominada Universidade de Brasília, cuja participação em 11 artigos, que mencionam 10 matérias-primas diferentes, aproximadamente, 1 artigo por matéria-prima. resultando na proporção de, 169 Outros casos semelhantes ao da Universidade de Brasília são os da University of Georgia, dos Estados Unidos, com a média de 0,7 artigos por matériaprima, o da Universidade Estadual de Campinas, universidade brasileira que possui, em média, 0,7 artigos por matéria-prima e, finalmente, o caso da University of Pardubice, da República Tcheca, com proporção de 0,5 artigos por matéria-prima. As matérias-primas pelos tipos de organizações O Gráfico 10 evidencia que em 24 das 74 matérias-primas (incluindo-se nesse montante “Matéria-prima não indicada” e “Não aplicável”), o que corresponde a, aproximadamente, 32%, estão presentes nos artigos publicados por ambas as organizações (EIPPs e IEIPP...
View Full Document

This document was uploaded on 01/24/2014.

Ask a homework question - tutors are online