Emite debnture investidores aplicam e ela paga juros

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: de transporte, imobilizado. A característica da empresa já se reflete no balanço e na análise vertical. Alguns indicadores indicam o tipo de empresa. A contabilidade reflete, ou deve refletir, a empresa. A contabilidade registra os eventos econômicos para serem usados pelo administrador ! Informação para tomada de decisão. A análise vertical deve ter coerência com o tipo de empresa. Se estiver fora, a empresa pode ser inovadora (a Dell, por exemplo, terá menos estoque), possui um modelo de negócios diferente. • DRE: Como está o desempenho da empresa e qual é o direcionamento desse desempenho? Receita líquida é 100% (a receita bruta não pertence à empresa, parte vai em tributos). A receita líquida é o que pertence à empresa efetivamente. Quer mostrar para onde foi os 100% da receita líquida. Fica evidente, por exemplo, as margens sobre vendas (porcentagem no lucro bruto). A margem bruta é consumida com as despesas operacionais e chega-se à margem operacional. Fica claro aí margem sobre vendas. Qual é a utilidade disso? Analisar onde as despesas estão impactando mais. A análise financeira também não é olhar só o último ano. É necessário comparar o desempenho nos anos para ver o que mudou, quais são as prováveis razões das alterações na margem? Análise conjunta: trabalhar análises vertical e horizontal conjuntamente e não separadas. São duas variáveis – o que mudou e a relevância. A análise vertical e horizontal mostram qual foi a evolução, alteração, e a relevância (vertical, relativiza cada item). Os dois tipos de análise devem ser usados conjuntamente. Indica a Estrutura do Ativo e Passivo, bem como as suas modificações. Análise do Desempenho da empresa (variação nas receitas, custos e despesas). Para chegar nas variações e perspectivas futuras, começa-se pelas demonstrações. Essa análise é individual. O processo de análise inclui o cálculo de indicadores, evolução e comparação com outras empresas. É necessário obter informações do que aconteceu com o setor. Se conseguir um balanço de uma empresa comparável, deve olhar o que aconteceu com uma e o que aconteceu com outra. ! 23! Uma das métricas de grandeza da empresa pode ser o total de ativos. O que a empresa cresce de um ano para o outro pode não ser proporcional. Se o Caixa cresceu muito (35%), mas só representa 1,6% do total de ativos, não precisa começar a análise por aqui. Não dá para saber do porte da empresa só por esses dados (normalmente os critérios são faturamentos, patrimônio líquido, total de ativos, etc.). A análise conjunta serve, então, para olhar a evolução e a relevância. Primeiro faz a análise horizontal, e depois a relevância (vertical). O importante é Contas a Receber, Estoque e Imobilizado. Discussão de DFC: O que é importante é ver o fluxo de investimento, financiamento e operação. No Passivo e PL, temos instantaneamente a informação de financiamento (para investir, a empresa precisa de financiamento). Compara quanto do investimento vem de credor e quanto vem de acionistas (quanto a empresa se financiou de terceiros, e quanto de acionistas). É possível investigar onde estão os recursos que os acionistas investiram na empresa: Patrimônio Líquido. Analisar quanto % dos recursos vem dos acionistas e quanto vem dos credores. Existem dois grupos de credores, circulante e não circulante (o circulante é tudo aquilo que vence no exercício seguinte). A empresa possui obrigações, mas nem todas as obrigações são iguais. Fornecedores a pagar, por exemplo, é uma obrigação que surge da operação. Naturalmente a empresa terá Contas e Fornecedores a Pagar. Temos passivos operacionais (Fornecedor, Salários, Impostos, Provisões e pode ser que Outros também). O Passivo Operacional surge naturalmente conforme a empresa vai tocando o negócio. O Passivo Financeiro não surge naturalmente (por exemplo, dívida). A decisão de usar dinheiro do acionista ou de terceiros vem do diretor financeiro. A empresa precisa de dinheiro para financiar seu negócio. Como faz para arrumar dinheiro? Capital de terceiros e acionistas. Pode ser do banco ou por debêntures. Se uma empresa é sociedade anônima, imite um bond (título de dívida), pega dinheiro emprestado de vários agentes. Emite debênture, investidores aplicam e ela paga juros a eles. Para debêntures, está pegando dinheiro de mais investidores, além de que na debênture vai direto ao investidor, o banco é um intermediário. Para a empresa, debênture custa menos que dinheiro do banco. Aplicar dinheiro na debênture também faz com que o investidor ganhe mais do que se tivesse aplicado no banco. A empresa paga menos do que pagaria para o banco. Quando a empresa pede dinheiro para o banco, ele cobra o spread. Quando a empresa emite debênture, a operação é direta. A empresa ainda vai usar o dinheiro do banco (ele que vai colocar as debêntures no mercado financeiro e ganha comissão para isso). Quem pode emitir debênture? S...
View Full Document

This document was uploaded on 02/18/2014.

Ask a homework question - tutors are online