Ou pede dinheiro para os acionistas pode aumentar a

Info iconThis preview shows page 1. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

Unformatted text preview: o nos valores: Em determinado momento, um ativo circulante é 349 e o passivo, 258. Se a empresa compra uma mercadoria à prazo por 50, o ativo e passivo circulantes aumentam, na mesma quantia. Quando calculamos o índice de liquidez, ele cai. Dividimos AC por PC. A empresa compra mercadoria à prazo (aumenta estoque e fornecedores). O número apresentado pelo índice caiu, mas a diferença entre o ativo e passivo é a mesma. Quando aumenta o denominador e numerador, a divisão dá um resultado menor. Se a empresa paga uma obrigação, ambos ativo e passivo circulantes caem. O índice de liquidez aumenta. Não houve mudança na liquidez, a diferença continua a mesma. Ao diminuir o numerador e o denominador, o resultado da divisão é maior. As mudanças não pioraram a liquidez, apesar do número mostrar que ela foi diminuída. Aumentou ou diminuiu os dois lados igualmente. Tem que ver se de fato mudou ou se é influência da conta de divisão. Análise financeira não é análise de elevador. Como com qualquer número, não pode olhar o número e falar que essa é a verdade. Analisar o valor do índice implica avaliar a situação que provocou a mudança. O que levou ao aumento/diminuição? Análise crítica. Análise de Endividamento e Estrutura de Capital: Capital de Terceiros/Capital próprio; Índice de Endividamento Geral; Índice de Composição de Exigibilidades (Não tem no livro – quanto é dívida de curto prazo e quanto é dívida de longo prazo, qual é o perfil da dívida. Dívida muito concentrada no curto prazo pode ser ruim); Índice de Cobertura de Juros; Dívida/EBITDA, Cobertura EBITDA. Dívida empresarial não é necessariamente ruim. A empresa investe o dinheiro. A maior parte do dinheiro de banco vem de terceiros. " Debt/Equity (D/E = PC + PNC/PL) Quanto a empresa usa de dinheiro de terceiros em relação ao capital de acionistas. Não dá para discutir muito o índice. O problema da dívida não é ser alta ou baixa, é quando vai pagar. Será que as empresas em algum momento pagam toda a dívida? Um ponto fundamental da empresa é renovar endividamento. Deve comparar com a média do setor. " Índice de endividamento Geral (IEG = PC + PNC/ AT) Dívida em relação ao investimento total. " Composição das Exigibilidades (ICE = PC/ PC+PNC x 100) Se o índice for 90%, a dívida é toda no curto prazo e a empresa irá precisar de dinheiro para pagar. Se a empresa tiver 40% de endividamento, e 90% é no curto prazo, isso quer dizer que a dívida precisa ser renovada de pouco ! 26! • em pouco tempo. Estar no curto prazo é arriscado porque o banco pode começar a restringir e a empresa ficará inadimplente. A concentração de endividamento no curto prazo é um fator de risco. Tem a pressão de ter que renovar a dívida no curto prazo. É bom que tal número seja baixo. Acima de 60% já é alto. " Índice de cobertura de juros (ICJ = LAJIR (EBIT)/Despesas financeiras) Relaciona lucro antes de juros com despesas financeiras. É quanto que o resultado da operação é em relação à despesa financeira. Se espera que o índice seja alto. Se é baixo, o problema é que a empresa tem dívida? O problema está em cima. As despesas financeiras na DRE não são o custo total do capital – são só o juros. Os juros são o custo do capital do credor. O índice precisa ser sempre favorável porque despesa financeira é apenas um pedaço da dívida da empresa. O problema não é despesa financeira, é o resultado operacional que pode estar ruim. Índice baixo não significa problema na despesa, indica que não está gerando operacional para pagar juros, ou se sobrar pouco – acionista fica no limbo. Precisa melhorar o LAJIR. Uma das estratégias da empresa é ter dívida para o administrador ser mais eficiente (tem que pagar despesa financeira). Não pode dizer se endividamento está alto ou baixo, tem que comparar com empresas do setor. A rigor, quanto maior o prazo, maior o juros. Deve emprestar mais barato no curto prazo. No Brasil isso é ao contrário. Aula 7 " Dívida Líquida/EBITDA (Empréstimos + Financiamentos [dívida financeira e não toda dívida da empresa, não tem fornecedores nem contas a pagar] – Aplicações Financeiras/EBITDA [lucro antes do juros, imposto de renda, depreciação e amortização, indicador de caixa operacional]) Relacionando dívida pelo caixa. Antes era dívida pelo patrimônio líquido, ou dívida sobre ativo total. Aqui, relaciona-se dívida financeira com caixa. Ao invés de relacionar toda a dívida com ativo total, para ver quanto os ativos estão financiando a dívida da empresa, só a divida financeira pela geração de caixa. As empresas estão se preocupando com a redução da dívida porque dívida é risco financeiro. Melhorar a relação não passa necessariamente por uma redução de empréstimo, pode ser aumentando o EBITDA. Diminuir empréstimos não é fácil, a empresa precisa pagar o empréstimo com o dinheiro do caix...
View Full Document

Ask a homework question - tutors are online