As próximas operações também muito usadas são o

Info icon This preview shows pages 9–11. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
As próximas operações, também muito usadas, são o incremento e o decremento. Quando incrementamos um ponteiro ele passa a apontar para o próximo valor do mesmo tipo para o qual o ponteiro aponta. Isto é, se temos um ponteiro para um inteiro e o incrementamos ele passa a apontar para o próximo inteiro. Esta é mais uma razão pela qual o compilador precisa saber o tipo de um ponteiro: se você incrementa um ponteiro char* ele anda 1 byte na memória e se você incrementa um ponteiro double* ele anda 8 bytes na memória. O decremento funciona semelhantemente. Supondo que p é um ponteiro, as operações são escritas como: p++; p--; Mais uma vez insisto. Estamos falando de operações com ponteiros e não de operações com o conteúdo das variáveis para as quais eles apontam. Por exemplo, para incrementar o conteúdo da variável apontada pelo ponteiro p , faz-se: (*p)++; Outras operações aritméticas úteis são a soma e subtração de inteiros com ponteiros. Vamos supor que você queira incrementar um ponteiro de 15. Basta fazer: p=p+15; ou p+=15; E se você quiser usar o conteúdo do ponteiro 15 posições adiante: *(p+15); A subtração funciona da mesma maneira. Uma outra operação, às vezes útil, é a comparação entre dois ponteiros. Mas que informação recebemos quando comparamos dois ponteiros? Bem, em primeiro lugar, podemos saber se dois ponteiros são iguais ou diferentes ( == e != ). No caso de operações do tipo > , < , >= e <= estamos comparando qual ponteiro aponta para uma posição mais alta na memória . Então uma comparação entre ponteiros pode nos dizer qual dos dois está "mais adiante" na memória. A comparação entre dois ponteiros se escreve como a comparação entre outras duas variáveis quaisquer: p1>p2 Há entretanto operações que você não pode efetuar num ponteiro. Você não pode dividir ou multiplicar ponteiros, adicionar dois ponteiros, adicionar ou subtrair float s ou double s de ponteiros. Ponteiros e Vetores Vetores como ponteiros Ponteiros como vetores Strings Endereços de elementos de vetores Vetores de ponteiros Veremos nestas seções que ponteiros e vetores têm uma ligação muito forte. Vetores como ponteiros Vamos dar agora uma idéia de como o C trata vetores. Quando você declara uma matriz da seguinte forma: tipo_da_variável nome_da_variável [tam1][tam2] ... [tamN]; o compilador C calcula o tamanho, em bytes, necessário para armazenar esta matriz. Este tamanho é: __________________________________________________________________________________ _ CURSO DE C DO CPDEE DA UFMG 43
Image of page 9

Info icon This preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

View Full Document Right Arrow Icon
tam1 x tam2 x tam3 x ... x tamN x tamanho_do_tipo O compilador então aloca este número de bytes em um espaço livre de memória. O nome da variável que você declarou é na verdade um ponteiro para o tipo da variável da matriz . Este conceito é fundamental. Eis porque: Tendo alocado na memória o espaço para a matriz, ele toma o nome da variável (que é um ponteiro) e aponta para o primeiro elemento da matriz.
Image of page 10
Image of page 11
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

{[ snackBarMessage ]}

What students are saying

  • Left Quote Icon

    As a current student on this bumpy collegiate pathway, I stumbled upon Course Hero, where I can find study resources for nearly all my courses, get online help from tutors 24/7, and even share my old projects, papers, and lecture notes with other students.

    Student Picture

    Kiran Temple University Fox School of Business ‘17, Course Hero Intern

  • Left Quote Icon

    I cannot even describe how much Course Hero helped me this summer. It’s truly become something I can always rely on and help me. In the end, I was not only able to survive summer classes, but I was able to thrive thanks to Course Hero.

    Student Picture

    Dana University of Pennsylvania ‘17, Course Hero Intern

  • Left Quote Icon

    The ability to access any university’s resources through Course Hero proved invaluable in my case. I was behind on Tulane coursework and actually used UCLA’s materials to help me move forward and get everything together on time.

    Student Picture

    Jill Tulane University ‘16, Course Hero Intern