Primeiramente podem ser utilizadas as cefalosporinas de 1\u00aa gera\u00e7\u00e3o cefazolina

Primeiramente podem ser utilizadas as cefalosporinas

This preview shows page 127 - 130 out of 144 pages.

Primeiramente, podem ser utilizadas as cefalosporinas de 1ª geração (cefazolina 1g, 8/8h, e cefalotina 1g, 6/6h) ou, em casos mais complicados, cefalosporinas de 3ª geração (ceftriaxo- na 1g, 12/12h). Esses esquemas terapêuticos podem ser alterados conforme o resultado do antibiograma. Os sintomas devem regredir em 48 a 72 horas após instituição do tratamento; caso isso não ocorra, deve-se proceder à investigação de outros diagnósticos. Após 1 semana do tratamento, realizar outro exame de urocultura; se o resultado for negativo, repetir exame mensalmente até o parto. Após tratamento, recomenda-se profilaxia com nitrofurantoína em dose de 100mg por VO ao dia até o parto.
Image of page 127
GINECOLOGIA E OBSTETRíCIA 383 Figura 2 - Condutas para úlcera genital 33 Síndrome da imunodeficiência adquirida e gestação 1. Introdução Sua etiologia é o vírus da imunodeficiência humana (HIV), um retrovírus. A transmissão vertical tem sido a forma mais comum de disseminação do vírus entre crianças, e suas vias de disseminação não são totalmente esclarecidas, mas podem ocorrer por exposição da mucosa fetal a secreções ou a sangue materno no intraparto, no aleitamento materno e por via transplacentária. O diagnóstico da infecção fetal pode ser realizado por cordocentese, porém esse método, por ser invasivo, apresenta risco de contaminação fetal no momento da punção; o diagnóstico mater- no, por vezes, ocorre durante as consultas pré-natais, em que são solicitadas todas as sorologias. As gestantes normalmente já são imunocomprometidas; logo, quando há gravidez associada à infecção pelo vírus da AIDS, essas mulheres ficam mais predisponentes a infecções oportunis- tas, que podem resultar em complicações sérias tanto para a gestante como para o feto. A infecção mais comum é a pneumonia por Pneumocystis jirovecii , e é possível realizar sua profilaxia primária com sulfametoxazol e trimetoprima.
Image of page 128
384 REVALIDA SIC Resumão 2. Assistência pré-natal As gestantes soropositivas para HIV devem ser seguidas como de alto risco e, portanto, en- tram nos critérios do pré-natal de alto risco. Devem ser feitas consultas mais frequentes, exames de rotina com intervalos menores do que o normal e exames complementares mais específicos, como ultrassonografia e avaliação da vitalidade fetal mais frequente. ͳ Durante o período do pré-natal, o obstetra deve solicitar não apenas as sorologias indicadas pelo Ministério da Saúde, mas também a carga viral e os marcadores celulares (CD4+/CD8+), para verificar o nível de progressão da doença; infecções sexualmente transmissíveis como clamídia e gonococo devem ser pesquisadas também; ͳ Sempre realizar profilaxia com drogas antirretrovirais a partir da 14ª semana de gestação (profilaxia tríplice), para reduzir a transmissão vertical. A orientação de tratamento (não apenas de profilaxia) dependerá de critérios clínicos e laboratoriais; ͳ Manter AZT durante o trabalho de parto até o clampeamento do cordão umbilical; ͳ
Image of page 129
Image of page 130

You've reached the end of your free preview.

Want to read all 144 pages?

  • Spring '19
  • Ovario, Endometrio, gravidez, Menstruação, Prolactina

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture