{[ promptMessage ]}

Bookmark it

{[ promptMessage ]}

Em 1972 richard karp descobriu outros 24 problemas np

Info iconThis preview shows pages 67–70. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
Em 1972, Richard Karp descobriu outros 24 problemas NP-completo. A lista hoje contém 4000 problemas. Se uma solução polinomial for encontrada para um deles, automaticamente teremos a solução polinomial para todos os demais. Se alguém provar que um desses problemas não pode ser resolvido em tempo polinomial, nenhum deles poderá. Todos os problemas NP-completo são polinomialmente equivalentes entre si, o que indica que eles têm uma estrutura em comum. Definição: Clique de um grafo é um subgrafo completo deste grafo. O problema do clique é: determine se o grafo contém um clique de tamanho K. Clique é NP - completo, pois SAT é redutível ao problema do clique: 67
Background image of page 67

Info iconThis preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

View Full Document Right Arrow Icon
Y 2 W 2 SAT X 1 X 2 Y 1 clique Dado um problema qualquer em NP, digamos X 1 , podemos reduzi-lo a SAT e então reduzir SAT ao problema do clique. Resolvendo clique, resolvemos X 1 . Então, qualquer problema em NP é redutível ao clique. Em uma figura, como a acima, representando relações de redução, um problema X será NP-completo se existir um caminho de X para SAT. Como X também pertence a NP, existirá seta de SAT para X, pois qualquer problema em NP pode ser reduzido a SAT. Em geral, não se prova que SAT é redutível a um problema X, mas sim que algum problema NP-completo é redutível a X. No desenho abaixo mostrando as relações de redução, suponha que foi provado que clique é redutível a A. Como o problema do clique é NP- completo, A também o é. Y 2 W 2 SAT X 1 X 2 Y 1 clique A C B NP - completo Observe que todos os problemas NP - completo são polinomialmente equivalentes, pois um pode ser reduzido a outro em tempo polinomial. Dados dois problemas NP- completo X e Y, existe sempre um caminho de X para Y e outro de Y para X, pelo menos um deles passando por SAT. Por exemplo, podemos usar a solução de A para resolver C usando o caminho A clique SAT C. 16.2 Exercícios 78 (3) Dados os problemas (a) Dado um vetor de elementos x 1 , x 2 , … x n , encontre um elemento x dentre eles tal que x é maior ou igual que n/2 elementos. (b) Ordene o vetor descrito em (a). 68
Background image of page 68
(c) Encontre o menor e o maior elementos do vetor. Reduza: (a) a (b). (a) a (c). (c) a (b). 79 (5) Assuma que um problema P é polinomialmente redutível a Q e: (a) A Entrada de P pode ser transformada em entrada para Q em tempo O (n log n). (b) Um algoritmo AQ que resolve o problema Q pode ser Executado em tempo O (n 2 ). Explique como podemos fazer um algoritmo para P usando AQ. Qual a complexidade deste algoritmo ? 80 (5) Um problema P toma um vetor de n inteiros qualquer como entrada e não conhecemos nenhum algoritmo para resolvê-lo. Contudo, descobrimos que P pode ser reduzido a um problema Q, que tem como entrada um vetor ordenado de inteiros. Admitindo que exista um procedimento procedure ProcQ (vet, n) : boolean; que resolva o problema Q, faça um procedimento ProcP para resolver o problema P. Admita a existência de um procedimento Ordene (vet, n) que ordena vetor vet de n inteiros.
Background image of page 69

Info iconThis preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

View Full Document Right Arrow Icon
Image of page 70
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

{[ snackBarMessage ]}