{[ promptMessage ]}

Bookmark it

{[ promptMessage ]}

Técnicas de Redação

Aula 32 terceiro passo definir o seu posicionamento

Info icon This preview shows pages 24–26. Sign up to view the full content.

View Full Document Right Arrow Icon
Aula 32 TERCEIRO PASSO : definir o seu posicionamento em relação ao tema. O tema proposto precisa ser clara e profundamente posicionado. Você não conseguirá abarcar todas as facetas do tema. É preciso escolher uma idéia principal forte e atraente. Observe alguns possíveis posicionamentos sobre o tema: 1. causas do aumento da poluição no Brasil; 2. a atuação do governo no combate à poluição; 3. poluição e educação. QUARTO PASSO : encontrar as idéias que darão suporte à sua idéia principal. Uma boa idéia principal não significa sucesso na redação se não encontrarmos argumentos consistentes para demonstrar nosso posicionamento. QUINTO PASSO : iniciar o parágrafo introdutório. 24
Image of page 24

Info icon This preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

View Full Document Right Arrow Icon
Aula 33 Modelos de Redação Os textos abaixo foram incluídos por apresentarem boa estruturação nos parágrafos. Observe como os argumentos se relacionam adequadamente à idéia principal apresentada no início de cada texto. Cresce o fosso Os dados divulgados sobre o índice do desenvolvimento humano (IDH) mundial desestimulam qualquer comemoração. Segundo relatório das Nações Unidas divulgado ontem em Bruxelas, os países cresceram menos nos anos 90 que nos anos 80. Em 46 deles, a população está mais pobre que em 1990. Em 25, a fome castiga mais pessoas que há uma década. Em 20, todos os indicadores andaram pra trás. Para o cálculo da qualidade de vida, consideram-se três aspectos. Um deles é a expectativa de vida da população ao nascer. Outro, o acesso ao conhecimento. Leva-se em conta, no caso, a taxa de alfabetização dos habitantes com 15 anos ou mais e o percentual de matrículas nos ensinos fundamental, médio e superior. Por fim, pesa a renda per capita . Os números trazidos à luz causam espanto e frustração. O planeta abriga 831 milhões de desnutridos. Nada menos que 1,1 bilhão de seres humanos sobrevivem com menos de US$ 30 por mês. Em 2002, 11 milhões de crianças morreram antes de completar um ano. Quase 105 milhões de infantes não freqüentam a escola. Água potável não chega a 1,2 bilhão de pessoas. Saneamento básico constitui luxo desconhecido para 2,7 bilhões de criaturas. A decepção diante dos resultados não se deve à extensão das carências. Deve-se, sobretudo, ao ritmo de sua redução. Na América Latina e Caribe, por exemplo, 33 países não conseguirão cumprir a meta assumida com a ONU em 2000: reduzir à metade o número de miseráveis que vivem com menos de um dólar por dia, assegurar o acesso das crianças ao ensino fundamental e diminuir em dois terços a taxa de mortes de menores de cinco anos. Na África, o quadro revela-se mais dramático. Lá, 13 países registraram retrocesso no IDH na década de 90. É a primeira vez que tantos Estados andaram pra trás. Na década de 80, só três deram marcha a ré na caminhada pela conquista de melhor qualidade de vida. As perspectivas para a região são sombrias. Caso o ritmo de mudança se mantenha, só em 2100 se cumprirão as metas de educação e mortalidade infantil.
Image of page 25
Image of page 26
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

{[ snackBarMessage ]}