Ela disse com um prazer pouco disfarçado O triângulo est� cada vez mais

Ela disse com um prazer pouco disfarçado o

This preview shows page 235 - 238 out of 247 pages.

Ela disse com um prazer pouco disfarçado: — O triângulo está cada vez mais complicado. Ontem à noite eles se sentaram um de cada lado dela... e o senhor precisa ver os olhares que um dirigia ao outro. Chantry estava bastante bêbado e ofendeu Gold diversas vezes, mas Gold se comportou muito bem. Não perdeu a calma. Valentine adorou a cena, claro. Ronronava como o gato que sente o camundongo nas garras. O que o senhor acha que vai acontecer? — Estou com receio... estou com receio... — Nós todos estamos — disse Miss Lyall fingidamente, completando: — Este assunto é da sua especialidade. Ou é bem capaz de acabar sendo. Será que o senhor não poderia fazer alguma coisa? — Já fiz tudo que pude. Miss Lyall inclinou-se ansiosa. — O que o senhor fez? Sua voz era alvoroçada. — Aconselhei Mrs. Gold a sair desta ilha antes que fosse tarde demais. — Oh... então o senhor acha... — ela interrompeu-se. — Acho o que, mademoiselle? — O senhor acha que é isto o que vai acontecer? — disse Pamela lentamente. Mas ele não faria isto, ele nunca faria uma coisa destas. Ele é uma boa pessoa, na verdade. Aquela Chantry é que é uma bisca. Ele não faria isto, ele não faria isto. Ela interrompeu-se de novo, depois continuou em voz baixa: — Assassinato? É esta a palavra em que o senhor está pensando? Esta é a palavra em que alguém está pensando, mademoiselle. Posso garantir-lhe isto. Pamela estremeceu. — Não posso acreditar nisto — declarou.
Image of page 235
CAPÍTULO CINCO Na noite de 29 de outubro, os acontecimentos desenrolaram-se em ordem perfeitamente delineada. Primeiro houve uma discussão entre os dois homens — Gold e Chantry. A voz de Chantry elevou-se cada vez mais e mais alta; suas últimas palavras foram ouvidas por quatro pessoas: o caixa no balcão, o gerente, o general Barnes e Pamela Lyall. — Seu maldito suíno! Se você e minha mulher pensam que vão se livrar de mim estão muito enganados. Enquanto eu estiver vivo Valentine será minha esposa. E. saiu do hotel, com o rosto contorcido de raiva. A discussão foi antes do jantar. Depois do jantar houve uma surpreendente reconciliação, não se sabe arranjada por quem. Valentine convidou Marjorie para um passeio de carro. Pamela e Sarah também foram. Gold e Chantry jogaram bilhar e depois foram fazer companhia a Poirot e ao general Barnes no saguão. — Foi bom o jogo? — perguntou o general. O comandante respondeu: — Este camarada é bom demais para mim. Fez quarenta e seis carambolas logo de saída. Douglas Gold disse modestamente: — Pura sorte, posso lhe garantir. Vocês não querem beber alguma coisa? Vou chamar o garçom. — Gim com angostura para mim, por favor. — E o senhor, general? — Um uísque com soda, obrigado. — E o senhor, monsieur Poirot? — Muita gentileza sua. Gostaria de um sirop de cassis. — Um sirop... como é mesmo o nome? — Sirop de cassis. Xarope de cássia. — Ah, um licor. Será que eles têm deste aqui? Nunca ouvi falar. — Têm sim. Mas não é um licor. Douglas Gold disse, rindo:
Image of page 236
— Me parece um gosto estranho... mas cada um toma o veneno que quer. Vou pedir as bebidas.
Image of page 237
Image of page 238

You've reached the end of your free preview.

Want to read all 247 pages?

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture