idoneidade n\u00e3o cremos que seja unicamente o cumprimento do setting da psica

Idoneidade não cremos que seja unicamente o

This preview shows page 150 - 152 out of 179 pages.

idoneidade, não cremos que seja unicamente o cumprimento do setting da psica- nálise clássica (número mínimo de quatro sessões semanais, uso do divã, etc.) que vai determ inar o que é psicanálise “verdadeira" ou não. J á tivemos pacientes que, apesar de um a rígida obediência ao referido setting analítico formal,' não fizeram mais do que um a psicoterapia, deitados; em contrapartida, temos absolu- ta convicção de que muitos pacientes de grupo obtiveram inequívocos resultados psicanaliticos, com as devidas mudanças estruturais e caracterológicas. Essa tomada de posição, genérica, não deve significar que estejamos igualando ambas formas de terapia, longe disso, há muitas similitudes e muitas claras diferenças entre psicoterapia e psicanálise. A discussão seria extensa e não nos parece adequado fazê-la aqui. Para favorecer um entendimento consensual acerca do conceito de cura, vamos utilizar o seguinte esboço classificatório: os resultados terápicos põ3èm seF cnhHivirlirir>R£m henefictos4erasêuticos e emxesuttãdos analíticos!
Image of page 150
1 4 2 / David E. Zimeman Os benefícios terapêuticos abrangem três níveis distintos: a) a resolução de. crises situacionais agudas (quando bem manejadas costumam ser de excelente prognóstico), bJHmõçãò~dé~sintomas (se estes não estiverem organizados em um a cronificação também são de bom prognóstico), c) melhoras adaptativas (o paciente consegue melhorar muito o seu padrão de ajuste familiar, social e profissional, m as esta melhora é algo instável, sujeita a recaídas, por não ter sido construída com profundas modificações da estrutura interna). Os resultados analíticos, sim, implicam no fato de que realmente se proces- saram as aludidas mudanças estruturais (relações objetais internas, identiílca- ções, etc.) com evidentes modificações caracterológicas e na conduta do indivíduo. Um outrõm arco referencial que pode ser tomado acerca da conceituação do que é cura, é a que parte dos quatro significados semânticos dessa palavra. Assim, os dicionários nos dizem que o vocábulo cura pode designar: 1) Em Medicina, a resolução completa de uma doença. 2) Uma prestação de cuidados (como em "cura” da paróquia; curador; pro- curador; curativo; des-curar, etc.). 3) O vocábulo cura deriva-se de curios que também é a raiz de “curiosidade". 4) Uma forma de amadurecimento (tal como é empregado para caracteri- zar um queijo que está sazonando). Se estabelecermos um a conexão entre os dois modelos referenciais que aqui adotamos, pode-se dizer que a cura no sentido médico encontra correspondência na cura psíquica, nos casos de resolução de crises e de sintomas de aparecimen- tos recente; o segundo significado — o da prestação de cuidados adequados — permite atingir o beneficio de nível adaptativo; a curiosiáade é uma premissa básica para a aquisição de insighí e o significado de “amadurecimento sazonal" equivale ao trabalho de elaboração, e daí aos resultados analíticos propriamente ditos.
Image of page 151
Image of page 152

You've reached the end of your free preview.

Want to read all 179 pages?

  • Fall '19
  • Freud

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture