A equipamento para ensaios de capacidade de carga ao

Info icon This preview shows pages 350–352. Sign up to view the full content.

(a) Equipamento para ensaios de capacidade de carga ao longo do plano do geotêxtil (b) Resultados de capacidade de carga ao longo do plano do geotêxtil Figura 12. Determinação da capacidade de fluxo ao longo do plano da manta de geotêxtil sob tensões de compressão de 2000 kN/m 2 (GARDONI, 2000). 2.5.3 Abertura de filtração A abertura de filtração de um geotêxtil é considerada igual ao diâmetro do maior grão de solo capaz de atravessar o geotêxtil. Os ensaios que utilizam a técnica de peneiramento são considerados como métodos diretos para determinação da abertura de filtração dos geotêx- teis. Os tipos de peneiramento são: peneiramento seco, no qual se utilizam partículas de solo ou esferas de vidro para que passem através do geotêxtil; peneiramento úmido, que consiste
Image of page 350

Info icon This preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

Tópicos sobre infiltração: teoria e prática aplicadas a solos tropicais 320 do peneiramento por vibração enquanto a água é jogada sobre as esferas ou partículas de solo, e peneiramento hidrodinâmico, em que as partículas de solo ou esferas de vidro são deposi- tadas sobre o espécime de geotêxtil, contido em um recipiente, e o conjunto é submetido ao fluxo alternado de água pela imersão repetida dentro de um tanque com água. Um ensaio do tipo peneiramento por via úmida, esquematizado na Figura 13(a) (VER- TEMATTI, 2010), foi adotado pela ISO/EN em 1999 (ISO 12956). Até então existiam várias propostas de norma considerando situações de peneiramento a seco (ASTM D 4751/87), por via úmida ou hidrodinâmico (AFNOR G 38017/87). O esquema do equipamento para o en- saio hidrodinâmico é apresentado na Figura 13(b). (a) Ensaio de peneiramento via úmida (ISO 12956) (b) Ensaio de peneiramento hidrodinâmico AFNOR G 38017/87 Figura 13. Equipamentos para ensaios de peneiramento via seca e hidrodinâmico (BHATIA, 2008). A condição de carregamento normal ao plano da manta, sem tração no plano, leva geral- mente a uma redução da abertura de filtração determinada sem carga normal. Ensaios realiza- dos por Gourc e Faure (1990), entre outros, mostram uma pequena redução nos valores, com o aumento da tensão confinante. Palmeira e Fannin (1998) observam que, para geotêxteis não tecidos de filamentos contínuos de poliéster, a redução da abertura de filtração é sensível até cerca de 25 kPa de tensão normal, variando pouco para tensões maiores. Os métodos de análise da distribuição de poros por medidas de tensão capilar forne- cem informações de volume de poros e não de abertura de filtração, que é o fator relevante para a filtração. O método do Bubble point (BBP) combina medidas de tensão capilar com medidas de fluxo de ar através do espécime de geotêxtil. Vermeersh e Mlynarek (1996) e Gardoni e Palmeira (2000) mostraram que é possível obter medidas acuradas de tamanho de aberturas de filtração, mesmo sob tensão de compressão, com o método do Bubble point .
Image of page 351
Image of page 352
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

{[ snackBarMessage ]}

What students are saying

  • Left Quote Icon

    As a current student on this bumpy collegiate pathway, I stumbled upon Course Hero, where I can find study resources for nearly all my courses, get online help from tutors 24/7, and even share my old projects, papers, and lecture notes with other students.

    Student Picture

    Kiran Temple University Fox School of Business ‘17, Course Hero Intern

  • Left Quote Icon

    I cannot even describe how much Course Hero helped me this summer. It’s truly become something I can always rely on and help me. In the end, I was not only able to survive summer classes, but I was able to thrive thanks to Course Hero.

    Student Picture

    Dana University of Pennsylvania ‘17, Course Hero Intern

  • Left Quote Icon

    The ability to access any university’s resources through Course Hero proved invaluable in my case. I was behind on Tulane coursework and actually used UCLA’s materials to help me move forward and get everything together on time.

    Student Picture

    Jill Tulane University ‘16, Course Hero Intern