Existem ainda embora pouco usados e requerendo

Info icon This preview shows pages 648–649. Sign up to view the full content.

Figura 11b, apresentam maior capacidade de drenagem que os maciços (Figura 10a). Existem ainda, embora pouco usados e requerendo cuidados com a manutenção de sua capacidade drenante, os elementos estruturais porosos que permitem a infiltração das águas pluviais. Levando-se em conta tais aspectos, o primeiro cálculo a ser feito diz respeito à capaci- dade de drenagem das juntas de travamento, dos furos se o elemento for vazado e dos poros se o elemento estrutural for drenante. Calculando-se a capacidade drenante e levando-se em conta a taxa de infiltração (permeabilidade) da camada de assentamento, é possível determi- nar, ainda que de modo aproximado, o volume precipitado passível de ser infiltrado, devendo o restante ser conduzido aos sistemas de drenagem convencionais ou alternativos, como é o caso das trincheiras e valas de infiltração. Devido à possibilidade de colmatação do sistema de drenagem superficial (juntas, furos, elementos estruturais porosos), recomenda-se atenção especial para se evitar o aporte de se- dimentos para a superfície do pavimento. Embora seja possível realizar operações de prevenção e manutenção, deve-se utilizar as condições de fluxo mínimas aceitáveis ou admitidas na determinação da capacidade de infiltração. Por exemplo, se for admitido que as manutenções de limpeza das juntas serão realizadas a cada seis meses e que nesse espaço de tempo se perdem 30% da capacidade de drenagem, deve-se efetuar o cálculo da capacidade de drenagem considerando-se apenas 70% da capacidade nominal do material. Em breve cálculo estimativo e exemplificativo, é possível constatar que uma estrutura de pavimento executada em bloquetes retangulares maciços medindo 9,5 cm x 19,5 cm x 5 cm de altura e possuindo em média 5 mm de junta preenchida com areia cuja permeabilidade média é de 10 -4 m/s, apresentará uma capacidade de infiltrar através das juntas uma lâmina d’água de aproximadamente 5 mm quando ocorrer uma precipitação de 10 mm em uma hora. Cabe ressaltar que, se por um lado a capilaridade da areia tenderá inicialmente a acelerar a infiltra- ção, em seguida, caso a fase ar torne-se oclusa, ela vai operar como barreira à infiltração, o que leva a considerar o valor apresentado como mera estimativa. Ultrapassada a camada estrutural correspondente aos intertravados, chega-se à camada de assentamento em areia na qual o fluxo tende a se espalhar e percolar para a camada de base. A camada de base deve, no caso dos pavimentos intertravados permeáveis, ser constituída preferencialmente por material pétreo estruturalmente insensível à água e com volume de po- ros com capacidade para armazenar a água infiltrada no período de acumulação, considerado em função da duração continuada das chuvas com pequenas intermitências. Para o cálculo do volume de poros, deve-se operar com o balanço hídrico, tendo-se como entrada o volume acumulado que se infiltrará na superfície do pavimento e tendo como saída o volume capaz de se infiltrar na sub-base ou no subleito no mesmo período de acumulação considerado. Cabe destacar que geralmente os manuais de execução recomendam a remoção e compactação do subleito em uma espessura de 60 cm, sendo a compactação realizada de modo a que se
Image of page 648

Info icon This preview has intentionally blurred sections. Sign up to view the full version.

Image of page 649
This is the end of the preview. Sign up to access the rest of the document.

{[ snackBarMessage ]}

What students are saying

  • Left Quote Icon

    As a current student on this bumpy collegiate pathway, I stumbled upon Course Hero, where I can find study resources for nearly all my courses, get online help from tutors 24/7, and even share my old projects, papers, and lecture notes with other students.

    Student Picture

    Kiran Temple University Fox School of Business ‘17, Course Hero Intern

  • Left Quote Icon

    I cannot even describe how much Course Hero helped me this summer. It’s truly become something I can always rely on and help me. In the end, I was not only able to survive summer classes, but I was able to thrive thanks to Course Hero.

    Student Picture

    Dana University of Pennsylvania ‘17, Course Hero Intern

  • Left Quote Icon

    The ability to access any university’s resources through Course Hero proved invaluable in my case. I was behind on Tulane coursework and actually used UCLA’s materials to help me move forward and get everything together on time.

    Student Picture

    Jill Tulane University ‘16, Course Hero Intern