Nada E o Oliveira dorme cada vez mais apertado contra a parede Quando consegue

Nada e o oliveira dorme cada vez mais apertado contra

This preview shows page 26 - 30 out of 93 pages.

- Nada!E o Oliveira dorme cada vez mais apertado contra a parede. Quando consegue dormir.***ClicCidadão se descuidou e roubaram seu celular. Como era um executivo e não sabia mais viversem celular, ficou furioso. Deu parte do roubo, depois teve uma idéia. Ligou para o número dotelefone. Atendeu uma mulher.- Aloa.- Quem fala?- Com quem quer falar?- O dono desse telefone.- Ele não pode atender.- Quer chamá-lo, por favor?- Ele está no banheiro. Eu posso anotar o recado?- Bate na porta e chama esse vagabundo! Agora!Clic. A mulher desligou. O cidadão controlou-se. Ligou de novo- Aloa.- Escute. Desculpe o jeito que eu falei antes. Eu preciso falar com ele, viu? Éurgente.- Ele já vai sair do banheiro.- Você é a...- Uma amiga.- Como é o seu nome?- Quem quer saber?
Background image
O cidadão inventou um nome.- Taborda. (Por que Taborda, meu Deus?) Sou primo dele.- Primo do Amleto?Amleto. O safado já tinha um nome.- É. De Quaraí.- Eu não sabia que o Amleto era de Quaraí.- Pois é.- Carol.- Hein?- Meu nome. É Carol.- Ah. Vocês são...- Não, não. Nos conhecemos há pouco.- Escute, Carol. Eu trouxe uma encomenda pro Amleto. De Quaraí. Uma pessegada, mas eunão me lembro do endereço.- Eu também não sei o endereço dele.- Mas vocês...- Nós estamos num motel. Este telefone é celular.- Ah.- Vem cá. Como é que você sabia o número do telefone dele? Ele recém-comprou.- Ele disse que comprou?- Por quê?O cidadão não se conteve.- Porque ele não comprou, não. Ele roubou. Está entendendo? Roubou. De mim!- Não acredito.
Background image
- Ah, não acredita? Então pergunta pra ele. Bate na porta do banheiro e pergunta.- O Amleto não roubaria um telefone do próprio primo. E Carol desligou de novo.O cidadão deixou passar um tempo, enquanto se recuperava. Depois ligou outra vez.- Aloa.- Carol, é o Tobias.- Quem?- O Taborda. Por favor, chame o Amleto.- Ele continua no banheiro.- Em que motel vocês estão?- Por quê?- Carol, você parece ser uma boa moça. Eu sei que você gosta do Amleto...- Recém nos conhecemos.- Mas você simpatizou. Estou certo? Você não quer acreditar que ele seja um ladrão. Mas eleé, Carol. Enfrente a realidade. O Amleto pode ter muitas qualidades, sei lá. Há quanto tempovocês saem juntos?- Esta é a primeira vez.- Vocês nunca tinham se visto antes?- Já, já. Mas, assim, só conversa.- E você nem sabe o endereço dele, Carol. Na verdade, você não sabe nada sobre ele. Nãosabia que ele é de Quaraí.- Pensei que fosse goiano.- Ai está, Carol. Isso diz tudo. Um cara que se faz passar por goiano.- Não, não. Eu é que pensei.- Carol, ele ainda está no banheiro?- Está.
Background image
- Então saia daí, Carol. Pegue as suas coisas e saia. Esse negócio pode acabar mal. Você podeser envolvida. Saia daí enquanto é tempo, Carol!- Mas...- Eu sei. Você não precisa dizer. Eu sei. Você não quer acabar a amizade. Vocês se dão bem,ele é muito legal. Mas ele é um ladrão, Carol. Um bandido. Quem rouba celular é capaz detudo. Sua vida corre perigo.
Background image
Image of page 30

You've reached the end of your free preview.

Want to read all 93 pages?

  • Fall '19
  • Fernando Sandoval

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture