Sevadilha Se me disseras isso em dois dedos de papel ainda te crera Semic\u00fapio

Sevadilha se me disseras isso em dois dedos de papel

This preview shows page 36 - 38 out of 62 pages.

Sevadilha: Se me disseras isso em dois dedos de papel, ainda te crera. Semicúpio: Não só em dois dedos, mas em toda a mão do solfá, donde verás de teu Semicúpio as finas cláusulas de suas semicopadas. Canta Semicúpio, espirrando no fim de cada verso, a seguinte ÁRIA Não posso, ó Sevadi... Dizer-te, o que padê... Que o meu amor trave... Chegando-me aos nari... Num moto contínuo me faz espirrar. Mas se é tafularia Este vício de querer-te, Toda inteira hei de sorver-te, Por mais que me veja morrer, e estalar. (vai-se). Sevadilha: Ora, Deus o ajude com tanto espirrar. (Entram Dom Lancerote e Dom Tibúrcio) Dom Lancerote: Basta, sobrinho, que não fostes vós, o que me derreastes? Dom Tibúrcio: Pois acha vossa mercê, que havia por as mãos violentas nas reverendas barbas de vossa mercê? Igual eu me podia com mais razão queixar de vossa mercê, que me fez em estilhas. Dom Lancerote: Eu, sobrinho? Isso é engano; eu havia erguer a mão para vós, quando só as devo levantar ao Céu, para dar-lhe graças, por dar-me para uma de minhas sobrinhas um noivo tão gentil-homem? Dom Tibúrcio: Não vai a dar quebranto. Sevadilha: (à parte). E ele, que é mui belo. Dom Tibúrcio: Pois se nenhum de nós reciprocamente deu um no outro, quem seria? Dom Lancerote: Eu também não posso atinar; o que sei é que a caixa para nós foi de guerra. Sevadilha: (à parte). E para o noivo, de tartaruga do Alentejo. Dom Lancerote: Sevadilha, anda cá, não o negues: quem andará nesta casa; há um par de noites que sinto grande rebuliço? Sevadilha: Senhor, eu tenho par Amim que esta casa às escuras é assombrada. Dom Lancerote: Tens visto alguma coisa? Sevadilha: Ai, senhor, tenho visto tantas coisas, que não me atrevo a dize-las.
Image of page 36
Dom Lancerote: Dize, rapariga. Sevadilha: Só em cuidar no que vi, estou para me desmaiar. Dom Lancerote: Era coisa do outro mundo? Sevadilha: Qual do outro mundo, se eu a vi neste? Dom Lancerote: Era fantasma? Sevadilha: O que é fantasma? Dom Lancerote: É uma coisa branca, que põe os olhos em alvo. Sevadilha: Senhor, eu não sei o que é; sei somente que vi sair de uma caixa uma coisa como furação de vento, que me deu muita pancada. Dom Lancerote: Vedes sobrinho? É o mesmo que nos sucede em carne. Dom Tibúrcio: Na carne aliás. Dom Lancerote: Aqui não há outro remédio mais que safares logo, e já, e levares vossa mulher convosco, que eu ponho escritos nas casas, e mudo-me às carreiras. Dom Tibúrcio: Isso é o verdadeiro. Dom Lancerote: Sevadilha, vai chamar as raparigas que venham cá depressa. Sevadilha: (à parte). Genro, e sogro, não os vi mais bestas! (Vai-se). Dom Tibúrcio: Para que manda vossa mercê chamar as minhas primas tão depressa? Dom Lancerote: Logo vereis. (Entram Dona Clóris e Dona Nize) Ambas: Que nos ordenas, Senhor? Dom Lancerote: Sobrinho, elas aí estão, escolhi uma das duas para vossa esposa. Dona Clóris: Eu fiz voto de ser freira, e assim não posso casar. Dom Lancerote: Pois case Dona Nize.
Image of page 37
Image of page 38

You've reached the end of your free preview.

Want to read all 62 pages?

  • Fall '08
  • Staff
  • São Paulo, Dedo, fogo, Virtude, Ombro, Semicúpio

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture