17 Crit\u00e9rios adotados para a escolha das faixas de cotas 92 Tabela 518

17 critérios adotados para a escolha das faixas de

This preview shows page 11 - 14 out of 149 pages.

Tabela 5.17 – Critérios adotados para a escolha das faixas de cotas. ...................................... 92 Tabela 5.18 - Probabilidades adotadas para a chance de ocorrência do início de processo erosivo decorrente da formação de fluxo concentrado em função da carga hidráulica atuante. .................................................................................................................................................. 97 Tabela 5.19 – Procedimento para determinação da carga hidráulica de referência e adoção da probabilidade de inicialização do processo erosivo. ................................................................ 97
Image of page 11
xii Tabela 5.20 - Valores característicos da granulometria dos materiais utilizados nos filtros e maciço da barragem. .............................................................................................................. 102 Tabela 5.21 - Critério para definição do limite de não-erosão (Foster & Fell, 2001). ........... 102 Tabela 5.22 - Critério para definição do limite de erosão excessiva e erosão contínuada (Foster & Fell, 2001). ............................................................................................................. 103 Tabela 5.23 - Possíveis desempenho de filtro em eventos de fluxo concentrado (Foster & Fell, 2001) ....................................................................................................................................... 103 Tabela 5.24 - Resultado da análise da capacidade do dreno vertical impedir a progressão do piping , segundo Foster & Fell (2001), e determinação da probabilidade de ocorrência. ....... 104 Tabela 5.25 - Quantificação da probabilidade de ocorrência dos eventos de base que independem da cota nível d’água do reservatório e que resultam no alargamento do pipe . .. 106 Tabela 5.26 – Gradientes hidráulicos ( i ) máximos atuantes na barragem ............................. 108 Tabela 5.27 - Avaliação dos gradientes obtidos na simulação numérica com os valores críticos ................................................................................................................................................ 108 Tabela 5.28 - Resultado da análise da capacidade de material resistira a erosão decorrente de gradientes hidráulicos elevados. ............................................................................................. 109 Tabela 5.29 - Determinação da probabilidade de ocorrência do colapso do pipe e formação ou não da brecha de ruptura. ....................................................................................................... 112
Image of page 12
xiii LISTA DE FIGURAS Figura 2.1 - Sistema Integrado de Segurança de Barragens ....................................................... 6 Figura 2.2 - Etapas da Gestão de Riscos (modificado - AS/NZS, 2004) ................................... 7 Figura 2.3 – Etapas pertencentes à avaliação dentro do processo de Gestão de Riscos. ........... 8 Figura 2.4 - Sub-etapas do processo de avaliação de riscos (modificado - Bowles, 2001) ....... 8 Figura 2.5 - Contribuições das perguntas ao processo (modificado - Stamatelatos, 2002). ...... 9 Figura 2.6 – Exemplo de modelagem lógica de cenário de piping através do maciço. (modificado de Foster & Fell, 2000). ....................................................................................... 10 Figura 2.7 – Exemplo de Árvore de Falhas (Modificado Foster & Fell, 2000) ....................... 13 Figura 2.8 – Exemplo de Árvore de Eventos (modificado Foster & Fell, 2000) ..................... 14 Figura 2.9 - Interrelação da ET com a FT (modificado - Bier, 1997). ..................................... 15 Figura 2.10 – Incertezas aleatórias, epistêmicas e do modelo de decisão em análises geotécnicas de confiabilidade (Baecher & Christian, 2008). ................................................... 17 Figura 2.11 - Algumas incertezas associadas aos dados de entrada necessários para estudo da barragem (modificado – Chauhan & Bowles, 2003) ................................................................ 17 Figura 2.12 – Exemplos de distribuições de probabilidade ..................................................... 18 Figura 3.1 - Frequência de incidentes com barragens brasileiras reportados pela imprensa escrita entre 2000 a 2008. ......................................................................................................... 27 Figura 3.2 – Número de reservatórios estimados por estado (espelho d’água superior a 20 ha).
Image of page 13
Image of page 14

You've reached the end of your free preview.

Want to read all 149 pages?

  • Winter '16
  • The Land, Universidade de Brasília, TOMADA DE DECISÃO, Distribuição de probabilidade

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

  • Left Quote Icon

    Student Picture

Stuck? We have tutors online 24/7 who can help you get unstuck.
A+ icon
Ask Expert Tutors You can ask You can ask You can ask (will expire )
Answers in as fast as 15 minutes